BC anuncia leilão e dólar fecha em baixa de 0,40% | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

BC anuncia leilão e dólar fecha em baixa de 0,40%

PUBLICADO EM: 4.7.13 | 17H47
O dólar à vista negociado no balcão, que passou a tarde muito próximo da estabilidade, fechou em baixa de 0,40% ante o real, cotado a R$ 2,2600
US$ 1 trilhão

"O BC pode ter anunciado novo swap para evitar que a moeda, amanhã, já abra o dia com pressão de alta", afirmou um profissional

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo - Numa sessão marcada pela liquidez reduzida, o Banco Central (BC) interveio nesta quinta-feira nos negócios em dois momentos distintos, primeiro por meio de leilão de swap cambial e depois na reta final, ao anunciar nova venda para esta sexta-feira, 5.

Com isso, o dólar à vista negociado no balcão, que passou a tarde muito próximo da estabilidade, fechou em baixa de 0,40% ante o real, cotado a R$ 2,2600.

Às 10h32, o dólar chegou a ser cotado na mínima de R$ 2,2510 (-0,79%), na esteira do movimento visto no exterior. Às 12h46, após declarações do ministro do Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, a moeda atingiu a máxima de R$ 2,2730 (+0,18%). Perto das 16h50 (horário de Brasília), a clearing de câmbio da BM&FBovespa registrava giro financeiro de US$ 1,047 bilhão, sendo US$ 1,011 bilhão em D+2. No mercado futuro, o dólar para agosto era cotado a R$ 2,27050, em baixa de 0,50%.

A oscilação do dólar até o início da tarde obedeceu a estímulos externos e internos. Enquanto no exterior a moeda reagia em baixa a uma entrevista do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, no Brasil, Pimentel deu força ao dólar. Ele afirmou que o dólar chegou a um novo patamar, considerando o cenário para a economia dos Estados Unidos, e que não deve "aumentar ou cair muito". Porém, Pimentel afirmou que, "seguramente, (o dólar) não voltará aos níveis abaixo de R$ 2,00, que tivemos por dois anos".

A fala do ministro do Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio Exterior impulsionou o dólar ante o real, o que fez o BC anunciar um leilão de swap cambial (equivalente à venda da moeda no mercado futuro), com oferta de até 30 mil contratos. Na operação, o BC vendeu 25.400 contratos - o volume financeiro ficou em US$ 1,264 bilhão.

Com isso, o dólar voltou para o território negativo, mas se manteve muito próximo da estabilidade. Profissionais ouvidos pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, citaram diferentes motivos para a moeda permanecer em patamares elevados ao longo da tarde - entre eles, a baixa liquidez e a possibilidade de saída de dólares do sistema.

Na reta final dos negócios no mercado à vista, porém, o BC voltou à carga, anunciando novo leilão de swap cambial, desta vez de até 40 mil contratos e para a manhã desta sexta-feira. O simples anúncio fez a moeda, que estava próxima dos R$ 2,27, recuar para R$ 2,2600 e fechar o dia neste nível. "O BC pode ter anunciado novo swap para evitar que a moeda, amanhã, já abra o dia com pressão de alta", afirmou um profissional.


Leia também

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame