Exame Invest
MERCADOS

Bolsas de Nova York devem ter dia de volatilidade

PUBLICADO EM: 27.11.12 | 12H21
Além das discussões sobre o "abismo fiscal" no Congresso, a terça-feira tem uma agenda cheia de indicadores da economia americana
Bolsa de Nova York (Wall Street)

Bolsa de Nova York: no pré-mercado, às 12h15 (de Brasília), o Dow Jones futuro caía 0,11%, o Nasdaq tinha alta de 0,03% e o S&P 500 perdia 0,06%

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Nova York - O acordo dos ministros das finanças da zona do euro e do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre a dívida grega animou os índices futuros das bolsas americanas nesta terça-feira. A empolgação, porém, durou pouco, com o investidor em Wall Street voltando o foco para as discussões sobre o "abismo fiscal". No pré-mercado, às 12h15 (de Brasília), o Dow Jones futuro caía 0,11%, o Nasdaq tinha alta de 0,03% e o S&P 500 perdia 0,06%.

Além das discussões sobre o "abismo fiscal" no Congresso, a terça-feira tem uma agenda cheia de indicadores da economia americana, que incluem as encomendas de bens duráveis de outubro, preços dos imóveis referentes a setembro, confiança do consumidor e o Livro Bege do Federal Reserve.

Entre os indicadores divulgados na manhã, as encomendas de bens duráveis ficaram estáveis em outubro, melhor do que o esperado pelos analistas. Economistas ouvidos pela Dow Jones projetavam queda de 1,2% no indicador.

Os analistas preveem um dia com volatilidade alta no pregão das bolsas americanas. A analista da Schaeffer's Investment Research, Karee Venema, destaca que com o acordo sobre a dívida grega, o país volta, momentaneamente, ao segundo plano em termos de preocupação dos investidores. "O abismo fiscal volta ao centro das preocupações", destacou em um relatório.


Um documento da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) trouxe certa preocupação ao mercado ao alertar que um eventual fracasso no acordo sobre o "abismo fiscal" pode empurrar a economia mundial de volta para uma recessão. Caso se chegue a um acordo para evitar os aumentos de impostos e cortes de gastos automáticos, os EUA cresceriam 2% no ano que vem e 2,8% em 2014.

No mundo corporativo, um dos destaques de alta no pré-mercado é o papel do Facebook, que operava com ganho de 1,27% às 12h15. A empresa de análise financeira Sterne elevou o preço-alvo para a ação da rede social, de US$ 26,00 para US$ 32,00. Em relatório a clientes, a Sterne destaca que vê oportunidades "bastante grandes" para o Facebook. A ação já foi um dos destaques de alta de segunda-feira.

Um dado que chamou a atenção dos investidores nos últimos dias foi que, na Black Friday, aumentaram as vendas pela internet, com crescimento de operações originadas dentro das páginas das redes de varejo no Facebook e outras redes sociais.

No setor aéreo, o papel da US Airways caía 2,71% no horário acima, após a empresa informar que a tempestade Sandy custou US$ 35 milhões em lucro para a companhia. A razão é que na passagem da tempestade, os aeroportos foram fechados e mais de 15 mil voos foram cancelados na Costa Leste dos EUA. Somente em Nova York, os três aeroportos da cidade ficaram fechados por dois dias.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame