MERCADOS

Bolsas dos EUA fecham em baixa antes do payroll

PUBLICADO EM: 3.4.14 | 18H05
O mercado acionário iniciou o mês de abril com forte performance após um primeiro trimestre mais fraco
Operador da NYSE:

NYSE: traders afirmaram que negociações hoje foram mais contidas, uma vez que muitos investidores preferiram esperar divulgação do relatório de emprego dos EUA

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo - As bolsas de Nova York interromperam a sequência recente de ganhos e fecharam em queda nesta quinta-feira, 3, após dados decepcionantes da economia dos EUA e em meio à cautela dos investidores antes da divulgação do relatório de emprego do país (payroll), nesta sexta-feira, 4.

O índice Dow Jones ficou praticamente estável, caindo 0,45 ponto e fechando aos 16.572,55 pontos. Já o S&P 500 perdeu 2,13 pontos (0,11%) e encerrou a sessão aos 1.888,77 pontos. E o Nasdaq recuou 38,72 pontos (0,91%), fechando aos 4.237,74 pontos.

O mercado acionário iniciou o mês de abril com forte performance após um primeiro trimestre mais fraco.

Traders afirmaram que as negociações hoje foram mais contidas, uma vez que muitos investidores preferiram esperar a divulgação do relatório de emprego dos EUA.

A expectativa é de que a economia do país tenha criado 200 mil novos empregos em março e que a taxa de desemprego caia de 6,7% para 6,6%.

"Os dados desta semana do ADP e do auxílio-desemprego foram mais fracos e os investidores preferiram aguardar os números oficiais do emprego. Estamos finalmente em um momento no qual os dados não são mais afetados pelo inverno, então o relatório desta sexta-feira vai dar aos investidores uma indicação mais certa sobre o rumo da economia", afirmou Kim Caughey Forrest, analista da Fort Pitt Capital.

Os dados divulgados hoje não forneceram evidência clara de que a economia dos EUA superou a fraqueza recente.

O número de pedidos de auxílio-desemprego subiu a 326 mil na semana passada, enquanto a expectativa era de alta a 320 mil, e o PMI de serviços medido pelo Instituto para Gestão de Oferta (ISM) subiu para 53,1 em março, mas ficou abaixo da projeção dos analistas, de 53,5.

Além disso, o déficit comercial norte-americano aumentou 7,7% em fevereiro, a US$ 42,3 bilhões, ficando pior que o saldo negativo esperado, de US$ 38,6 bilhões.

No noticiário corporativo, ações de empresas como Twitter (-3,7%) e Facebook (-5,2%), que costumam seguir mais firmemente a trajetória do mercado, foram destaques negativos e pressionaram o Nasdaq.

Na Europa, as bolsas fecharam majoritariamente em alta, depois que os comentários do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, alimentaram as expectativas por medidas adicionais de estímulo, mesmo após a instituição ter mantido sua política monetária inalterada na reunião de hoje.

A Bolsa de Frankfurt subiu 0,06%, Paris ganhou 0,42%, mas Londres caiu 0,15%. Com informações da Dow Jones Newswires.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame