MERCADOS

Bovespa abre em alta após dados positivos da China

PUBLICADO EM: 10.5.11 | 10H34
São Paulo - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu o dia em alta, motivada pelos números robustos da balança comercial chinesa em abril, que embalam as bolsas e as commodities (matérias-primas) no mercado internacional, com exceção do petróleo. A busca por pechinchas e a temporada de balanços também devem influenciar os negócios […]
EXAME.com

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu o dia em alta, motivada pelos números robustos da balança comercial chinesa em abril, que embalam as bolsas e as commodities (matérias-primas) no mercado internacional, com exceção do petróleo. A busca por pechinchas e a temporada de balanços também devem influenciar os negócios locais, em mais um dia de agenda econômica fraca nos Estados Unidos. Às 10h19, o índice Bovespa (Ibovespa) subia 0,46%, aos 64.918 pontos.

A China registrou um superávit comercial de US$ 11,4 bilhões em abril, ante US$ 139 milhões em março, superando as projeções de saldo positivo de US$ 1 bilhão. Em base anual, as exportações aumentaram 29,9% no mês passado, abaixo do registrado no mês anterior (35,8%), mas acima do esperado (29%). Já as importações cresceram 21,8% em abril ante o mesmo mês de 2010, de uma alta de 27,3% em março e ante previsão de alta de 29,5%.

O resultado sugere uma redução das pressões inflacionárias e esquenta o debate para uma apreciação mais rápida do yuan. Mas, como salienta o economista da Senso Corretora, Antônio César Amarante, o país asiático dá demonstrações de que nada mudou por lá e de que a China segue aquecida, sendo o motor econômico global.

No Brasil, especialistas destacam o início de melhoria nas expectativas para a inflação no País, reforçando as apostas de que a Bolsa brasileira segue barata. Com isso, crescem as chances de o Ibovespa superar a resistência ao redor dos 65,3 mil pontos, restabelecendo a força compradora do mercado local.

Para tanto, os investidores acompanham uma nova rodada de divulgação de resultados financeiros. Entre os destaques, está o aumento de 24,7% no lucro líquido do Banco do Brasil, para R$ 2,932 bilhões no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado.

Já a ALL teve lucro líquido de apenas R$ 515 mil no primeiro trimestre de 2011, uma queda de 98,5%, também em base anual. A Gafisa também reportou queda, de 78,9%, no lucro líquido apurado entre janeiro e março de 2011, para R$ 13,706 milhões em relação a um ano antes. Após o fechamento dos mercados, saem os demonstrativos contábeis de Gol, MMX, OSX, entre outras.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame