Exame Invest
MERCADOS

BOVESPA-Mercado exibe leve baixa após dados nos EUA

PUBLICADO EM: 13.1.11 | 11H31
SÃO PAULO, 13 de janeiro (Reuters) - O principal índice das ações brasileiras operava em baixa nesta quinta-feira, seguindo a reação internacional a dados piores do que o esperado da economia norte-americana. Às 12hxx, o Ibovespa tinha queda de 0,17 por cento, para 71.511 pontos. Na máxima, pouco após a abertura, o índice chegou a […]
EXAME.com

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

SÃO PAULO, 13 de janeiro (Reuters) - O principal índice das
ações brasileiras operava em baixa nesta quinta-feira, seguindo
a reação internacional a dados piores do que o esperado da
economia norte-americana.

Às 12hxx, o Ibovespa tinha queda de 0,17 por cento,
para 71.511 pontos. Na máxima, pouco após a abertura, o índice
chegou a quase 72 mil pontos --no maior patamar desde 9 de
novembro. O giro do pregão era de 1,2 bilhão de reais.

"Ontem o mercado estava bastante forte com o aumento da
confiança em relação à Europa", disse Leonardo Bardese,
operador da corretora BGC Liquidez, em referência à alta de
1,72 por cento na quarta --a maior desde 1o de dezembro.

"Depois da 'outperformance' de ontem, eu acho que é natural
que o mercado esteja um pouco de lado agora no começo da
sessão", acrescentou.

Nos Estados Unidos, o aumento inesperado dos pedidos de
auxílio-desemprego --o maior em seis meses-- colocava os
índices futuros de Wall Street em leve baixa, indicando uma
abertura negativa nas bolsas.

Mais cedo, porém, o resultado dos leilões de títulos
públicos na Itália e na Espanha foi bem recebido pelos
investidores, com demanda forte, a exemplo da operação
realizada por Portugal na véspera. [ID:nN13262626]

As variações eram moderadas dentro do Ibovespa. A maior
alta percentual, de 1,3 por cento, era da mineradora MMX
, a 11,69 reais, seguida pelas Lojas Renner
, 1,25 por cento, a 54,10 reais.

Na ponta de baixo, a construtora Rossi Residencial
recuava 1,43 por cento, a 14,43 reais. A ação
ordinária da siderúrgica Usiminas cedia 1,45 por
cento, a 23,16 reais.

O maior volume do pregão era da ação preferencial da
Petrobras , com alta de 0,25 por cento, a 27,97
reais. Em seguida, o papel PN da Vale tinha leve
alta de 0,10 por cento, a 52,47 reais.

As ações mais líquidas da bolsa começam a ser mais
influenciadas pelo vencimento de opções sobre ações, que
acontece na segunda-feira.

OGX Petróleo caía 1,23 por cento, a 20,06 reais,
com o terceiro maior volume do pregão. Na véspera, a empresa
anunciou a descoberta de gás em seção do poço OGX-25, na bacia
de Campos. Um dia antes, a petrolífera declarou que um poço da
bacia de Santos não era viável comercialmente.

"Encontrar gás na bacia de Campos não é uma boa notícia
para a OGX. A presença de gás na parte norte de Campos pode
forçar a OGX a rever seu modelo para a bacia", escreveu a
analista Paula Kovarsky, da Itaú Corretora, em relatório.

"Não acreditamos que essa descoberta reduza dramaticamente
o potencial da parte norte de Campos, mas certamente é ruim."

(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Aluísio Alves)

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame