Exame Invest
Mercados

Cautela com Egito mantém Bolsas de NY quase estáveis

PUBLICADO EM: 2.2.11 | 18H47
Por Gustavo Nicoletta Nova York - Os principais índices do mercado de ações dos EUA fecharam perto da estabilidade - com exceção do S&P-500, que registrou leve queda -, refletindo a cautela dos investidores antes da divulgação dos dados sobre o mercado de trabalho do país na sexta-feira e diante da instabilidade no Egito. Os […]
EXAME.com

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Por Gustavo Nicoletta

Nova York - Os principais índices do mercado de ações dos EUA fecharam perto da estabilidade - com exceção do S&P-500, que registrou leve queda -, refletindo a cautela dos investidores antes da divulgação dos dados sobre o mercado de trabalho do país na sexta-feira e diante da instabilidade no Egito.

Os investidores acompanharam atentamente durante a sessão os protestos contra o governo do Egito. Simpatizantes do presidente do país, Hosni Mubarak, chegaram a atacar manifestantes reunidos no Cairo, mas a ausência de uma reação mais aguda do mercado a este fato indica que o mercado está recebendo suporte do otimismo relacionado às condições da economia dos EUA, segundo analistas.

Esse otimismo foi reforçado hoje pela pesquisa mensal da ADP/Macroeconomic Advisers, segundo a qual o setor privado norte-americano criou 187 mil empregos em janeiro em comparação a dezembro, superando a projeção dos economistas consultados pela Dow Jones, que esperavam 143 mil novas contratações.

"As pessoas não querem perder o avanço atual (das ações)", disse Larry Glazer, sócio-gerente da Mayflower Advisors. Em relação ao Egito, "ainda há dúvidas sobre quais são os verdadeiros impactos econômicos. Investidores mais velhos lembram da crise no Irã, mas os mais novos não passaram por isso".

Segundo Jeffrey Friedman, estrategista de mercado da Lind-Waldock, "temos problemas no Oriente Médio e as pessoas estão dizendo 'vamos comprar mesmo assim'. Não sei o que vai quebrar esse mercado".

Já Dorsey Farr, um dos sócios da consultoria French Wolf & Farr, disse que não se surpreenderia se as bolsas começassem a cair mais cedo do que as pessoas estão esperando. "Não parece que o Norte da África ser o gatilho (dessa queda), embora possa ser cedo demais para afirmar isso. No entanto, quando os mercados estão em alta, são mais suscetíveis a eventos remotos."

O Dow Jones subiu 1,81%, ou 0,02%, para 12.041,97 pontos. O Nasdaq recuou 1,03 ponto, ou -0,04%, para 2.750,16 pontos. O S&P-500 teve queda de 3,56 pontos, ou -0,27%, para 1.304,03 pontos. As informações são da Dow Jones.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame