Exame Invest
Mercados

Cemig estuda captar com papel de 10 anos em real, diz Luiz Rolla

PUBLICADO EM: 29.6.11 | 18H07
A intenção é ajudar a refinanciar a dívida da companhia que está vencendo
Cemig é favorecida pela vitória de Anastasia

A Cemig precisa levantar R$ 4 bilhões por meio de títulos e ações nos próximos 12 meses

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Nova York - A Cia. Energética Minas Gerais pretende levantar R$ 4 bilhões com títulos e ações nos próximos 12 meses para rolar sua dívida e financiar seu crescimento.

A Cemig, como a empresa de Belo Horizonte é conhecida, está medindo o interesse dos investidores em pelo menos R$ 1,7 bilhão em títulos de 10 anos denominados em reais neste ano, para refinanciar a dívida, disse Luiz Fernando Rolla, diretor financeiro da companhia. Também estão nos planos a venda de R$ 1 bilhão em ações da Taesa em 2012, disse ele em entrevista hoje na sede da Bloomberg em Nova York. O R$ 1,3 bilhão restante, segundo Rolla, seria necessário para projetos relacionados à Copa do Mundo de 2014.

“O mercado é profundo o bastante para nos financiar”, disse o executivo. “Ao longo dos últimos dois anos, nós levantamos cerca de US$ 6 bilhões no Mercado local. Temos todas as condições.”

A companhia, cujas ações preferenciais têm o quarto melhor desempenho no ano entre as integrantes do Ibovespa, espera que as vendas cresçam cerca de 6 por cento neste ano, após expansão de 12,4 por cento em 2010, disse Rolla. A Cemig precisa ampliar sua capacidade de geração dos atuais 7.000 megawatts para 8.000 megawatts, disse ele.

“Estamos sem estoque”, disse Rolla. “Não temos mais nenhum megawatt para vender.”

Fluxo de Caixa

Mais tarde, em entrevista coletiva em Nova York, Rolla disse que a Cemig tem R$ 3 bilhões em fluxo de caixa para investir em crescimento orgânico e compra de outras empresas e participa de “muitas” negociações de possíveis fusões e aquisições. As “boas notícias” nessa área são esperadas para antes do fim do ano, disse ele, sem dar detalhes.

A empresa estuda emitir títulos em reais no mercado brasileiro ou no exterior, disse o executivo. Segundo ele, é provável que os custos levem a uma emissão no mercado local.

A ação preferencial da Cemig subiu 0,4 por cento hoje, para R$ 31,77. No ano, o papel acumula alta de 19 por cento, contra retração de 10 por cento do Ibovespa.

A Cemig disse que a sua unidade Taesa pode vender ações já existentes ou emitir novas para atender às exigências de capital mínimo em circulação do Novo Mercado da BM&FBovespa. A companhia precisa expandir o número de papéis em circulação da Taesa dos atuais 4 por cento para o equivalente a 25 por cento de seu capital, em operação de cerca de R$ 1 bilhão, disse Rolla. Ele espera que a venda de ações ocorra no primeiro trimestre de 2012. A Cemig tem 57 por cento do capital total da Taesa.

A Cemig pretende refinanciar R$ 2,07 bilhões de reais em títulos que vencem entre dezembro de 2011 e janeiro de 2012, assim como financiar investimentos relacionados à Copa do Mundo de 2014.

Ampliar o prazo da dívida local é um dos objetivos da companhia, disse Rolla.

“Estamos trabalhando intensamente com o mercado para educá- lo a ter um mercado secundário, assim podemos começar a aumentar o prazo para 20, 30 anos”, disse ele. “Nós precisamos desse tempo, porque nossos projetos são de longo prazo também.”

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame