Exame Invest
Mercados

Cenário binário preocupa mercado e exige cautela, diz XP

PUBLICADO EM: 1.10.18 | 15H50
O desfecho da disputa entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) no segundo turno das eleições terá impacto direto no mercado
haddad bolsonaro

Bolsonaro x Haddad: ambos candidatos devem convergir ao centro em eventual segundo turno

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo -  Faltando seis dias para as eleições presidenciais, a equipe de analistas da XP Investimentos recomenda cautela aos investidores.

Em relatório divulgado a clientes, a XP destaca que atenção do mercado está completamente voltada ao cenário eleitoral, que segue ainda indefinido e com um resultado potencialmente binário para a Bolsa.

O desfecho da disputa entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) no segundo turno das eleições terá impacto direto no mercado.

No caso da vitória de Bolsonaro, a XP Investimentos afirma que  as políticas macroeconômicas serão bem recebidas e a reação deve ser positiva em um primeiro momento, mas ressalta que há dúvidas em relação à execução.

Já no caso da vitória de Haddad, os analistas apontam que a falta de clareza em relação ao comprometimento com as reformas fiscais preocupa e, portanto, pode levar à correção da Bolsa em um primeiro momento.

Com a vitória do petista, que até agora se mostrou menos comprometido com o ajuste fiscal, a perspectiva é que o Ibovespa registre uma desvalorização entre 10% e 15%, ficando entre 65 mil pontos e 70 mil pontos.

Se Bolsonaro chegar à presidência e se comprometer com as reformas fiscais, a Bolsa pode alcançar os 90 mil pontos.

Em ambos os casos, a XP Investimentos afirma que os discursos dos dois candidatos, em um potencial segundo turno, têm um potencial de convergência ao centro “o que poderia ajudar a mitigar o risco da baixa da Bolsa, ou pelo menos conter o movimento.”

Ações em destaque

Na análise entre os dois cenários, as ações do setor de consumo e bancos devem ter uma performance melhor com Jair Bolsonaro. Entre os destaques estão Itaú Unibanco, B2W e Localiza.

Já no cenário com Haddad na presidência as ações ligadas à commodities e ao setor elétrico devem reagir melhor. Os papéis em destaque são Vale, Suzano e Engie.

Sobre as estatais, como Banco do Brasil e Petrobras, a equipe econômica afirma que as ações podem ter um risco interessante, mas sugere  que sejam evitadas já que são muito voláteis em período eleitoral.

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame