Exame Invest
MERCADOS

China volta a pesar sobre Vale e Bovespa recua

PUBLICADO EM: 20.3.12 | 13H02
O movimento é mais intenso do que o visto nos mercados acionários externos
Bovespa 1

Pregão da Bovespa

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo - Preocupações com a desaceleração do crescimento econômico na China voltavam a pesar nas commodities e principalmente nas ações da mineradora Vale, motivando queda da Bovespa nesta terça-feira, num movimento mais intenso do que o visto nos mercados acionários externos.

Às 12h31, o principal índice da bolsa -Ibovespa - caía 1,18 por cento, a 66.933 pontos. O giro financeiro do pregão era de 1,98 bilhão de reais. No exterior, o índice norte-americano Dow Jones perdia 0,48 por cento, enquanto o europeu FTSEurofirst recuava 0,94 por cento. Segundo a corretora Hencorp Commcor DTVM, em relatório, as ações ligadas à commodities lideravam as perdas também nos mercados externos devido às declarações da mineradora BHP Billiton, que vê sinais de que a demanda por minério de ferro da China esteja se estabilizando.

"Segundo presidente da BHP, Ian Ashby, o crescimento da produção de aço chinesa tem diminuindo e segue para uma tendência de estabilização", explicou a corretora, em relatório. A Vale registrava os impactos dessas declarações. A ação preferencial tinha queda de 1,91 por cento, a 41,15 reais, enquanto a ordinária perdia 2,73 por cento, a 42,09 reais.

MMX também operava em baixa, de 2,94 por cento, a 9,23 reais, enquanto entre as siderúrgicas a ordinária da Usiminas recuava 2,48 por cento, para 18,45 reais, e a preferencial de Metalúrgica Gerdau caía 2,89 por cento, a 23,89 reais. No setor de petróleo, o comportamento das principais ações também era de baixa.

A preferencial da Petrobras recuava 0,90 por cento, a 24,16 reais, apesar de ter anunciado que encontrou nova acumulação de petróleo de boa qualidade no bloco BM-S-8 em águas ultraprofundas no pré-sal da bacia de Santos. O bloco é operado pela Petrobras, sendo que a QGEP possui participação de 10 por cento. A ação da segunda petrolífera, que não faz parte do Ibovespa, registrava ganho de 3,22 por cento, a 13,16 reais. OGX tinha queda de 1,57 por cento, a 16,95 reais.

Na manhã desta terça-feira, a empresa do bilionário Eike Batista informou que adquiriu participação de 20 por cento da Maersk Oil nos blocos BM-C-37 e BM-C-38, na bacia de Campos, e se tornou a operadora dos projetos, com fatia de 70 por cento. Papéis do setor imobiliário estavam entre as poucas altas do Ibovespa, após terem registrado fortes quedas na véspera. Cyrela Brazil Realty tinha ganho de 0,57 por cento e PDG Realty ganhava 1,02 por cento.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame