Exame Invest
Mercados

Dólar dispara 2,8% e real encerra com o pior desempenho do mundo

PUBLICADO EM: 18.9.20 | 9H10
ATUALIZAÇÃO: 18.9.20 | 17H24
Além do cenário externo negativo, especialista vê alta impulsionada por baixa liquidez e recomposição de posições em dólar por parte de bancos
Dólar

Dólar sobe 2,8% e encerra sendo vendido por 5,3787 reais

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

O dólar disparou 2,8% e encerrou sendo vendido a 5,3787 reais nesta sexta-feira, 18. Embora a moeda americana também tenha se valorizado contra outras divisas emergentes, o real teve a pior performance do mundo.

Segundo Jefferson Ruik, diretor de câmbio da Correparti, o movimento é justificado pela baixa liquidez, que aumenta a volatilidade da moeda, e pela recomposição de posição comprada em dólar por parte de tesourarias de grandes bancos. "Qualquer operação maior amplia a valorização do dólar. Como teve algumas operações grandes de recomposição acabou pesando."

Felipe Pellegrini, chefe da mesa de câmbio da Travelex Bank, comenta que a baixa liquidez do mercado foi um dos principais motivadores do movimento abrupto que se formou ao longo do dia. "Operações grandes acabaram acionando ordens de stop e ocorreu um efeito manada, uma corrida em busca de dólar", afirma. Ainda que a alta da moeda americana tenha se concentrado de forma mais significativa no cenário local, o mercado internacional negativo influenciou negativamente.

No exterior, o dia foi negativo, com os investidores ponderando o aumento do número de casos de coronavírus na Europa e a volta de medidas mais duras de isolamento na capital espanhola, Madri. Nos Estados Unidos, os investidores seguiram repercutindo a falta de estímulos fiscais e monetários.

A declaração do presidente Donald Trump sobre a proibição, nos Estados Unidos, de downloads do aplicativo chinês Tik Tok a partir de domingo também não ajuda. O anúncio, que ocorre em meio à corrida e eleitoral e após a ByteDance firmar parceria para que a Oracle faça a gestão das operações do aplicativo Tik Tok nos EUA. Embora ajude a aumentar a tensão comercial entre as duas potências, a notícia teve impacto limitado nos mercados pela manhã.

Vanei Nagem, analista de câmbio da Terra Investimentos, ainda ressalta a cautela com o fim de semana. “Depois de uma semana conturbada com decisão de juros no Brasil e nos Estados Unidos, o investidor se sente mais confortável para passar o fim de semana comprado em dólar. Até para não se desesperar se vier uma notícia muito ruim no sábado ou domingo”, afirma.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame