Exame Invest
Mercados

Dólar comercial abre em alta de 0,12%, a R$ 1,665

PUBLICADO EM: 2.2.11 | 9H03
Por Olívia Bulla São Paulo - O dólar comercial abriu o dia em alta de 0,12%, negociado a R$ 1,665 no mercado interbancário de câmbio. No pregão de ontem, a moeda americana recuou 0,66% e foi cotada a R$ 1,663 no fechamento. Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o dólar à vista abriu em […]
EXAME.com

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Por Olívia Bulla

São Paulo - O dólar comercial abriu o dia em alta de 0,12%, negociado a R$ 1,665 no mercado interbancário de câmbio. No pregão de ontem, a moeda americana recuou 0,66% e foi cotada a R$ 1,663 no fechamento. Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o dólar à vista abriu em alta de 0,23%, a R$ 1,6665.

Hoje, o mercado de câmbio seguem na expectativa por novas atuações do Banco Central (BC). Além disso, as atenções se voltam para a pesquisa ADP de emprego no setor privado nos Estados Unidos. Os dados, a serem divulgados ainda pela manhã, são uma espécie de prévia do relatório oficial de emprego no país, que sairá na sexta-feira.

Segundo especialistas, o rumo do dólar ante as principais moedas estrangeiras pode ser um sinalizador para a direção dos negócios locais, mas está longe de ser um fator determinante. Eles explicam que o foco nos debates sobre juros e câmbio no Brasil segue como ponto central. O fluxo de recursos para o Brasil também continua favorável. Nesse ambiente, os instrumentos cambiais usados pelo BC não têm conseguido impedir um recuo da divisa norte-americana. Com isso, persiste a expectativa de que, a qualquer momento, a autoridade monetária faça um leilão de swap reverso ou de compra de dólares a termo.

No exterior, o euro exibia nesta manhã leves altas e baixas ante o dólar, mas sustentava a marca de US$ 1,38, recuperada ontem pela primeira vez desde novembro, em meio às crescentes expectativas que o Banco Central Europeu (BCE) será forçado a elevar os juros básicos na zona do euro em algum momento neste ano, para combater a inflação.

Mais cedo, foi anunciado que os preços na porta das fábricas da zona do euro tiveram em dezembro a maior alta anual em mais de dois anos, aumentando os sinais de pressão inflacionária no bloco monetário. O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) subiu 0,8% em dezembro na comparação com novembro, a maior alta desde abril. Em relação a dezembro de 2009, o avanço foi de 5,3%, o maior desde outubro de 2008, segundo informou a agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame