Exame Invest
Mercados

Dólar fecha em alta ajudado por expectativas com eleição

PUBLICADO EM: 14.10.14 | 17H16
O levantamento do Vox Populi mostrou a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) com 51% das intenções de voto, contra 49% do candidato do PSDB, Aécio Neves
Cédulas de dólar

Dólar: moeda à vista subiu 0,54%, negociado a R$ 2,4020, no balcão

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo - O dólar fechou em alta em relação ao real nesta terça-feira, 14, ajudado pelas especulações em torno das eleições e em sintonia com os ganhos registrados ante outras divisas no exterior. 

O avanço do dólar foi contido, no entanto, pela cautela dos investidores antes da divulgação de novas pesquisas eleitorais, nesta quarta-feira, após a pesquisa Vox Populi ter mostrado empate técnico entre o candidato Aécio Neves (PSDB) e a presidente Dilma Rousseff (PT), ontem.

No fim do pregão regular, o dólar à vista subiu 0,54%, negociado a R$ 2,4020, no balcão. Por volta das 16h30, o volume de negociações no mercado à vista totalizava US$ 967,3 milhões.

No mercado futuro, o dólar para novembro avançava 0,40%, a R$ 2,4150.

O levantamento do Vox Populi mostrou a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) com 51% das intenções de voto, contra 49% do candidato do PSDB, Aécio Neves.

A situação é de empate técnico, considerando que a margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais.

Os números alimentaram as expectativas em relação à divulgação das sondagens Datafolha e Ibope, amanhã, após não ter confirmado o resultado mostrado pelo números do instituto Sensus divulgados no fim de semana.

O levantamento apontou Aécio com mais de 17 pontos à frente de Dilma.

Além das pesquisas, os investidores também aguardam um debate que será realizado pela TV Bandeirantes na noite de hoje.

A alta do dólar no Brasil ficou em sintonia com o avanço registrado em relação a outras moedas no exterior, devido a preocupações com novos sinais de enfraquecimento da economia global, especialmente da Europa.

Dados da Alemanha da zona do euro reforçaram temores de uma nova recessão na Europa.

O índice alemão ZE

W de expectativas econômicas caiu para -3,6 em outubro, de 6,9 em setembro, o primeiro resultado negativo desde novembro de 2012. O Ministério da Economia alemão disse que cortou as projeções de crescimento da Alemanha para este e o próximo ano.

Um relatório separado mostrou que a produção industrial do bloco caiu 1,9% em agosto ante igual mês do ano passado, quando a previsão era de recuo de 0,9%.

Perto das 16h30, o euro caía a US$ 1,2649, de US$ 1,2758 na véspera.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame