Exame Invest
Mercados

Dólar fecha quase estável após leilão do BC

PUBLICADO EM: 24.4.12 | 17H45
A moeda norte-americana teve variação negativa de 0,02%, cotada a R$ 1,8823 na venda, ainda a maior cotação desde o dia 25 de novembro de 2011
Dólar 1

Notas de dólar

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo - O dólar fechou praticamente estável ante o real, com o mercado reagindo ao leilão de compra de dólares no mercado à vista que o Banco Central voltou a fazer nesta terça-feira. Durante a maior parte do dia, o dólar operou em queda ante o real, acompanhando o humor externo um pouco melhor.

A moeda norte-americana teve variação negativa de 0,02 por cento, cotado a 1,8823 real na venda, ainda a maior cotação desde o dia 25 de novembro do ano passado, quando fechou em 1,8864 na venda. Durante o dia, a moeda oscilou entre 1,8745 real e 1,8845 real. "O mercado reagiu ao leilão e estava esperando para ver quando o BC poderia atuar, depois que viu ele não atuou na barreira do 1,90 real", disse o economista-sênior do BES Investimentos, Flávio Serrano.

O BC fez um leilão de compra de dólares no mercado à vista com taxa de corte de 1,8775 real pouco depois das 15h30, horário de Brasília. Na véspera, o BC não havia atuado, sendo que na sexta-feira também fez um leilão à vista com o câmbio no mesmo patamar de 1,87 real. Já na quinta-feira passada, o BC também não interveio, parando de fazer dois leilões de compra de dólares no mercado à vista por sessão, depois que a moeda chegou próximo a 1,90 real.

Para o economista-sênior, o BC evitou que o dólar caísse ainda mais ante o real próximo ao fechamento da sessão, sendo que essa nova atuação deve fazer com que o mercado acredite que a autoridade monetária não irá deixar a moeda cair abaixo de 1,87 real. "O mercado entendeu que ainda existe essa vontade do BC de assegurar a cotação em 1,87 real, essa vai ser a espectativa, pelo menos, no curto prazo", afirmou.

Segundo uma fonte da equipe econômica ouvida pela Reuters, o governo tem visto uma "janela de oportunidade" para levar o dólar a um patamar mais próximo a 1,90 real, diante de um cenário externo mais negativo e sem números preocupantes de inflação. Para o gerente da mesa financeira da corretora Hencorp Commcor, Luiz Henrique de Paula, o mercado, de fato, tem se prendido muito à atuação do BC.

"O BC estava com forte atuação, mas a partir de quinta-feira passada, com cotação do dólar mais elevada, essa tônica mudou, ele passou a atuar mais esporadicamente e o mercado estava querendo ver quando ele voltaria", disse. Até o leilão, o gerente afirmou que o movimento do dólar ante o real estava seguindo o movimento de outras moedas no exterior. Ante uma cesta de divisas, o dólar tinha queda de 0,26 por cento no final desta tarde.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame