Exame Invest
Mercados

Entrada de capital em emergentes atinge máxima em 21 meses

PUBLICADO EM: 29.3.16 | 10H44
A entrada de capital, a maior desde junho de 2014, segue-se aos 5,4 bilhões de dólares recebidos em fevereiro
Bolsas

Bolsas: os títulos foram destino de 18,9 bilhões de dólares, enquanto as ações foram dos outros 17,9 bilhões de dólares, mostraram os dados

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 1MIN

Londres - Estrangeiros devem ter injetado 36,8 bilhões de dólares nos mercados acionários e de títulos dos países emergentes em março, a maior entrada mensal em quase dois anos, estimou o Instituto de Finanças Internacionais (IIF, na sigla em inglês) nesta terça-feira.

O instituto, um dos mais confiáveis no acompanhamento dos fluxos internacionais de capital dos países em desenvolvimento, disse em nota que todas as quatro regiões de mercados emergentes receberam capital. A Ásia encabeçou a lista, com 20,6 bilhões de dólares.

A entrada de capital, a maior desde junho de 2014, segue-se aos 5,4 bilhões de dólares recebidos em fevereiro, e está substancialmente acima da média entre 2010 e 2014 de 22 bilhões de dólares, disse o IIF.

Os títulos foram destino de 18,9 bilhões de dólares, enquanto as ações foram dos outros 17,9 bilhões de dólares, mostraram os dados.

A América Latina, que tem sido rejeitada pelos investidores nos últimos meses, recebeu 13,4 bilhões de dólares, com as ações brasileiras recebendo mais de 2 bilhões de dólares "ajudadas pelos preços atrativos e pelo aumento das esperanças de mudança política".

Mas o aumento das entradas de capital pode ser interrompido, disse, prevendo que os próximos meses podem se tornar mais duros, com as expectativas crescentes de que o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, vai elevar os juros mais duas vezes em 2016.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame