MERCADOS

Europa opera em leve alta à espera de detalhes da UE

PUBLICADO EM: 9.12.11 | 8H57
Os líderes da UE não conseguiram obter o apoio de todos os 27 membros do bloco para as mudanças no tratado
Sarkozy e Cameron

Autoridades disseram que o Reino Unido e a Hungria não iriam participar do tratado

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Londres - As bolsas europeias operam com leve alta, à medida que os investidores aguardam mais detalhes sobre o programa de consolidação fiscal da cúpula da União Europeia, em Bruxelas, após negociações tensas durante a noite. Às 9h11 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,47%, Frankfurt avançava 1,25%, Paris subia 1,33%. Entre os países periféricos, a Bolsa de Madri registrava alta de 0,98%, Lisboa avançava 1,13% e Milão ganhava 1,90%.

Os líderes da UE não conseguiram chegar a um acordo sobre os aspectos principais de sua reposta à crise da zona do euro, incluindo a proposta da França e da Alemanha para mudar os tratados para evitar que os governos acumulem enormes déficits.

Os líderes da UE não conseguiram obter o apoio de todos os 27 membros do bloco para as mudanças no tratado. Autoridades disseram que o Reino Unido e a Hungria não iriam participar do tratado, enquanto Suécia e República Checa reservaram suas posições, ou seja, ficaram neutras. Como resultado disso, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, estão buscando um tratado intergovernamental, incluindo pelo menos 23 Estados membros.

Enquanto isso, os líderes fecharam um acordo, segundo o qual o Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM, pela sigla em inglês) será limitado a 500 bilhões de euros e que não receberá uma licença bancária. Também foi anunciado que UE fornecerá até 200 bilhões de euros em empréstimos bilaterais para o Fundo Monetário Internacional (FMI), para aumentar a capacidade da instituição para ajudar os países que enfrentam problemas de liquidez.

O setor bancário conseguiu se sustentar em terreno positivo, ignorando o movimento da Moody's de rebaixar os ratings dos três principais bancos franceses com ações listadas em bolsas, BNP Paribas, Crédit Agricole and Société Générale, em uma nota. A agência disse que o corte reflete a deterioração das condições de financiamento e a contínua exposição dessas instituições à dívida soberana.

Ontem, a EBA divulgou os resultados do teste de estresses dos bancos europeus. Segundo a autoridade, o déficit de capital dos bancos europeus é de um total de 114,7 bilhões de euro, maior do que o apontado pela previsão anterior. As informações são da Dow Jones.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame