FBI investiga traders envolvidos na manipulação da Libor | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

FBI investiga traders envolvidos na manipulação da Libor

PUBLICADO EM: 1.7.12 | 10H36
A taxa do mercado financeiro de Londres é uma das principais referências de juros no mundo
Agência do Barclays em Londres

Agência do Barclays em Londres: FBI investiga traders do banco

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Reino Unido - Os agentes do FBI investigam 14 traders do Barclays que estão no centro do escândalo envolvendo a manipulação de taxas de empréstimo, reportou o Sunday Times. Agentes em Washington conduzem um inquérito junto a funcionários do banco acusados, na semana passada, de distorcerem artificialmente a taxa London Interbank Offered Rate (Libor), uma das principais referências de juro no mundo.

A Libor, referência de juro no mercado interbancário em Londres, é usada para financiamentos de imóveis e automóveis, dívida corporativa e derivativos. A Libor é calculada pela Thomson Reuters, sob a supervisão da Associação de Banqueiros Britânicos e é baseada em dados enviados diariamente por 16 bancos. A Libor mede as taxas que os grandes bancos emprestam entre si. Outro índice que está sendo investigado é Euribor, taxa semelhante a Libor definida por um grupo de cerca de 43 bancos.

Segundo o Sunday Times, o Departamento de Fraudes Sérias do Reino Unido está conduzindo o inquérito entre os envolvidos, mas os Estados Unidos têm a missão de levar o caso para a Justiça.

Nenhum porta-voz do Barclays comentou a notícia. O executivo-chefe do Barclays, Bob Diamond, diz manter o apoio dos investidores, citando uma lista de seus 20 principais acionistas, sem dar seus nomes, diz o Sunday Times.

Já o Sunday Telegraph reportou que dois dos principais acionistas do Barclays pediram a saída de Diamond e Marcus Agius, o presidente do banco, com base em informações de acionistas. Um dos 20 maiores acionistas do Barclays acusou o conselho do banco de agir como agentes do executivo, ao invés de governar o grupo e pediu a susbstituição de ambos, diz o Telegraph, que descreveu sua fonte como um "nome respeitado na cidade de Londres".

Outro acionista disse ser inevitável a saída de Diamond, uma visão partilhada por uma das mais graduadas figuras de um dos principais rivais do Barclays, afirma o Sunday Telegraph.

Diamond, entretanto, comenta em seu círculo privado que está determinado a permanecer e melhorar a imagem do banco em consequência dessa crise, acrescenta o jornal. As informações são da Dow Jones.


Leia também

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame