Exame Invest
Mercados

GM deve apresentar documentos para voltar à Bolsa

PUBLICADO EM: 13.8.10 | 8H17
Washington - A General Motors (GM) prevê apresentar nesta sexta-feira perante a Comissão da Bolsa de Valores dos Estados Unidos (SEC) a documentação necessária para voltar a ser cotada em bolsa no final do ano, segundo a imprensa local. O periódico "The Detroit News" assinalou que a GM poderia começar a vender ações em novembro, […]
EXAME.com

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Washington - A General Motors (GM) prevê apresentar nesta sexta-feira perante a Comissão da Bolsa de Valores dos Estados Unidos (SEC) a documentação necessária para voltar a ser cotada em bolsa no final do ano, segundo a imprensa local.

O periódico "The Detroit News" assinalou que a GM poderia começar a vender ações em novembro, após ganhar quase US$ 2,2 bilhões durante o primeiro semestre de 2010.

A GM anunciou na quinta-feira que seus lucros no segundo trimestre somaram US$ 1,33 bilhões.

Após a publicação do número, o presidente do conselho de administração e executivo-chefe, Ed Whitacre, anunciou que passará o controle da empresa a um dos conselheiros, Dan Akerson.

Akerson, de 61 anos e antigo executivo do mundo das telecomunicações, e também ex-diretor da firma de investimentos Grupo Carlyle, assumirá o posto de executivo-chefe em 1º de setembro, e, no final do ano, ficará no cargo de presidente do conselho de administração.

A GM abandonou os mercados quando declarou falência em junho de 2009 e passou seu conjunto de ações às mãos das autoridades dos Estados Unidos, Canadá, do sindicato United Auto Workers (UAW) e antigos credores. Sua volta à bolsa pode ter um valor de cerca de US$ 16 bilhões.

O Departamento do Tesouro dos EUA injetou aproximadamente US$ 50 bilhões à GM durante a quebra, por isso controla atualmente 61% das ações.

O "The Wall Street Journal" assinalou que o Tesouro deve oferecer em um primeiro momento US$ 10 bilhões, e deve se desprender do resto do conjunto de ações em lances durante os próximos meses.

Por sua parte, o jornal "The New York Times" também assinalou na quinta-feira que a GM conseguiu um instrumento creditício no valor de US$ 5 bilhões, um dos últimos requisitos para poder voltar aos mercados.

Leia mais notícias sobre IPOs

Siga as notícias do site EXAME sobre Mercados no Twitter

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame