MERCADOS

Ibovespa despenca com dados do varejo dos EUA

PUBLICADO EM: 15.10.14 | 13H50
O mercado repercute também o debate eleitoral da noite de ontem
Visitantes observam preços de ações em monitores da BM%26FBovespa, em São Paulo

Visitantes observam preços de ações: o Ibovespa teve quase 4% de baixa

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Com a queda nas vendas do setor varejista dos Estados Unidos acima do esperado em setembro e os resultados negativos do índice Empire State do Federal Reserve (Fed, banco central americano) de Nova York, o mercado financeiro brasileiro abriu o dia em forte baixa. Por volta das 11h45, o Índice Bovespa registrava perdas de 3,23%, aos 56.143 pontos, depois de ter chegado aos 55.718 pontos, quase 4% de baixa.

O mercado repercute também o debate eleitoral da noite de ontem da tevê Bandeirantes entre os candidatos Aécio Neves, do PSDB, e Dilma Rousseff, do PT, e aguarda novas pesquisas eleitorais que serão divulgadas pelo Datafolha e pelo Ibope hoje à noite.

As ações do chamado “kit eleição” também despencaram. Petrobras PN (preferencial, sem voto) tinha perda de 5,03%, acompanhada por Petrobras ON (ordinária, com voto), com -4,65%, Banco do Brasil ON, tinha baixa de 3,85%, seguido por Eletrobras ON, com -4,10%, e Eletrobras PNB, perdendo 3,34%.

Sem considerar as estatais, a líder de perdas do indicador era a BMF&Bovespa ON, com -5,48%, BR Propert ON, com -5,44%, BR Malls ON, com -5,30%, e Bradesco PN caindo 4,40%.

A única alta do índice era marcada por Fibria ON, com ganhos de 0,20%. A exportadora liderava as altas com a valorização da moeda americana.

Mercados Internacionais

Nos Estados Unidos, o recuo de 0,03% nas vendas do varejo, ante ganho de 0,6% em agosto, repercutiu nas principais bolsas do país. Além disso, a divulgação do relatório do índice Empire State que mede as condições de negócio na região, do Fed de Nova York, marcou 6,2 pontos em outubro, muito abaixo dos 27,5 pontos registrados em setembro.

Para completar o cenário, mais um enfermeiro foi diagnosticado com Ebola nos EUA. Após perder até 2,25%, o Índice Dow Jones marca agora recuo de 0,98%, o S&P, que bateu 2,10% de perda, tem agora queda de 0,77%, e o indicador da bolsa eletrônica Nasdaq, que pela manhã tinha -1,99%, tem -0,45%.

O mercado financeiro europeu também é afetado pela instabilidade das bolsas americanas. O Stoxx 50, que concentra os 50 papéis mais negociados da região, tem forte queda, de 2,29%, o CAC, de Paris, também perde 2,33%, o britânico Financial Times registra -1,69%, e o alemão DAX marca -1,77%.

Dólar e Juros

No mercado de câmbio brasileiro, no segmento comercial, a divisa americana tinha alta de 1,29%, sendo vendida a R$ 2,43. Já o dólar turismo marcava aumento de 0,78%, a R$ 2,57 na venda.

Com a valorização da moeda americana, as taxas projetadas no mercado de juros futuros cresciam. As do contrato para 2015 passaram de 10,945% ontem para 10,955% hoje.

Os contratos com vencimento em janeiro de 2016 têm taxas projetadas de 11,91%, ante 11,86% ontem. Para 2017, as projeções são de 11,91%, acima da taxa anterior de 11,79%. E, para 2021, a taxa sobe para 11,47%, ante 11,27% de ontem.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame