MERCADOS

Ibovespa tem leve alta, apoiado em Vale

PUBLICADO EM: 27.12.13 | 10H42
Com poucos indicadores macroeconômicos relevantes no radar, as transações eram guiadas mais pelo noticiário corporativo
Par Corretora

Bovespa: às 11h31, o Ibovespa subia 0,12 por cento, aos 51.283 pontos. O giro financeiro do pregão era de 670 milhões de reais

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo - A bolsa de valores brasileira tinha leve alta no começo da penúltima sessão de 2013, com seu principal índice apoiado pelos ganhos das Vale, em meio a volume reduzido de negócios.

Às 11h31, o Ibovespa subia 0,12 por cento, aos 51.283 pontos. O giro financeiro do pregão era de 670 milhões de reais.

"O mercado só começa a funcionar com mais força a partir de 6 de janeiro, após os feriados de fim de ano", disse o operador da Renascença Luiz Roberto Monteiro, referindo-se ao baixo apetite dos investidores por negócios.

Com poucos indicadores macroeconômicos relevantes no radar, as transações eram guiadas mais pelo noticiário corporativo. Nesse contexto, a Vale era um dos alicerces para manter o Ibovespa no azul. A mineradora informou após o fim do pregão da véspera que vendeu em leilão as ações que tinha na empresa de logística Log-in por 233 milhões de reais, a 8,11 reais cada.

"A empresa caminha para fechar o ano com 6 bilhões de dólares levantados com operações de desinvestimentos em ativos não essenciais", afirmou a corretora Socopa, em relatório.

Um destaque de alta era Cemig. A elétrica mineira aprovou na quinta-feira a distribuição de 4,8 bilhões de reais a acionistas, dentro de um aumento de capital.

"Acreditamos que o aumento de capital anunciado pela Cemig deve ter efeito neutro sobre suas ações", afirmou o analista da CGD Securities Vicente Koki, em relatório.


Na mão contrária, Eletropaulo era uma das líderes de perdas, após ter anunciado na véspera recálculo do efeito positivo recorrente na receita líquida a partir de julho de 2014 após a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) admitir parcialmente recurso sobre revisão tarifária. O valor caiu para cerca de 40 milhões de reais por ano tarifário, ante previsão anterior, de 75 milhões de reais.

No setor logístico, a disputa pelo leilão de concessão da BR-040 (DF/GO/MG), nesta manhã, foi vencida pela Invepar, com oferta de deságio de 61,13 por cento sobre a tarifa de pedágio máxima permitida. Ações das empresas derrotadas na disputa, como CCR , Arteris e Ecorodovias, subiam.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame