MERCADOS

Índice Bovespa segue bolsas externas e sobe mais de 2%

PUBLICADO EM: 28.11.11 | 12H39
A ação preferencial da Usiminas disparava 6,79%, para 11,32 reais, após o anúncio de que Ternium, da Techint, fechou acordo ingressar no bloco de controle da empresa
Usiminas

O setor siderúrgico estava entre os que mais contribuíam para a valorização da carteira teórica

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo - A bolsa brasileira operava em forte alta nesta segunda-feira, seguindo o otimismo externo com investidores na expectativa por novos anúncios de medidas para enfrentar a crise na Europa.

Às 13h20, o Ibovespa subia 2,45 por cento, a 56.239 pontos. O giro financeiro do pregão era de 1,49 bilhão de reais.

Na Europa, o índice de ações FTSEurofirst tinha valorização de 3,60 por cento. Nos Estados Unidos, o Dow Jones ganhava 2,87 por cento e o Standard & Poor's 500, 3,24 por cento.

"Há algumas expectativas em relação a novos anúncios na Europa, e também sobre recordes de vendas no Dia de Ação de Graças nos EUA", afirmou o economista André Perfeito, da Gradual, em referência à "Black Friday", quando varejistas norte-americanas concedem descontos aos consumidores nas compras após o feriado.

Um porta-voz do governo alemão informou nesta segunda-feira que Alemanha e França estão trabalhando juntas em uma proposta por mudanças concretas e limitadas ao tratado da União Europeia. No Ibovespa, as blue chips Petrobras e Vale subiam. As preferenciais da estatal avançavam 2,24 por cento, enquanto as da mineradora -que mais cedo revelou seu plano de investimentos para 2012- tinham ganho de 2,05 por cento.

O setor siderúrgico estava entre os que mais contribuíam para a valorização da carteira teórica.

A ação preferencial da Usiminas disparava 6,79 por cento, para 11,32 reais, após o anúncio de que Ternium e TenarisConfab, da Techint, fecharam acordo para ingressar no bloco de controle da empresa brasileira. As ordinárias da Usiminas , que chegaram a subir mais de 5 por cento, perdiam força e tinham variação positiva de 1,12 por cento, a 19,92 reais, depois que o presidente da empresa disse que não haverá tag-along aos acionistas minoritários.

Apenas uma ação dentro do Ibovespa caía: Redecard operava em baixa de 0,17 por cento.

Fora do índice, a ação preferencial da Confab , que vai desembolsar 900 milhões de reais por uma fatia da Usiminas, tinha a maior queda da bolsa, com perda de 11,59 por cento, a 4,12 reais.

Lupatech disparava 13,40 por cento, a 4,40 reais, dando continuidade ao movimento de recuperação iniciado na sexta-feira, quando subiu 12,5 por cento. De segunda a quinta-feira da semana passada, a ação acumulou perda de quase 50 por cento, refletindo temores sobre a solvência da companhia.

Na sexta, o Banco Nacional de Desenvolvimento EconÂmico e Social (BNDES) deu demonstrações de apoio à Lupatech.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame