Exame Invest
Mercados

Intervenção do G7 impulsiona índices europeus

PUBLICADO EM: 18.3.11 | 9H13
Investidores também observavam os bancos. O regulador bancário da União Europeia disse que uma definição mais rígida de capital ainda não foi acertada
Bolsas da Europa

Setor industrial liderava os ganhos, com o índice STOXX Europe 600 da indústria subindo 1,26 por cento

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Londres - As bolsas de valores da Europa operavam em alta nesta sexta-feira, liderada pelo setor industrial, com o G7 ajudando a acalmar o mercado sobre o desastre no Japão ao intervir para frear a valorização do iene.

Ainda há incerteza sobre a crise nuclear japonesa e as tensões no Oriente Médio e no norte da África, após a ONU ter autorizado uma ação militar na Líbia.

Às 8h38 (horário de Brasília), o índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 subia 0,32 por cento, aos 1.090 pontos, tendo fechado em alta de 1,8 por cento na quinta-feira.

O setor industrial liderava os ganhos, com o índice STOXX Europe 600 da indústria subindo 1,26 por cento.

"A intervenção do G7 está acalmando os mercados, mas nós ainda precisamos de alguns dias de consolidação para pensar que o pior já passou", disse Giles Watts, diretor de ações do City Index.

O iene se depreciava mais de 3 por cento após bancos centrais do mundo terem aprovado uma intervenção coordenada no mercado de câmbio.

Os investidores também observavam os bancos. O regulador bancário da União Europeia disse que uma definição mais rígida de capital ainda não foi acertada para a segunda rodada de testes de estresse, preocupando operadores sobre quais bancos teriam capital suficiente para suportar choques econômicos.

O índice STOXX Europe 600 do setor bancário operava praticamente estável. Santander , BBVA e Barclays perdiam entre 0,8 e 1,5 por cento.

Contudo, após a série de declínios da semana nas ações, o apetite por risco do investidor melhorava, com o índice de volatilidade VDAX-NEW ampliando a queda para 8,1 por cento.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame