Exame Invest
Mercados

Investimentos e pedágios mais altos beneficiam ação da OHL

PUBLICADO EM: 29.6.11 | 11H46
Analista acredita que investimento na empresa é maneira de se proteger contra a inflação
Pedágio da OHL Brasil

Analista da Ágora recomenda a compra das ações da OHL Brasil

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo – Após incorporar os últimos resultados apresentados, novas premissas macroeconômicas, expectativas mais otimistas para o fluxo de veículos e a adoção dos novos padrões contábeis, a Ágora Corretora elevou nesta quarta-feira (29) o preço-alvo da concessionária de rodovias OHL Brasil (OHLB3).

Em relatório, o analista Luiz Otávio Broad ampliou sua estimativa para as ações ordinárias da OHL de 65,50 para 71,80 reais por ação até dezembro deste ano. O valor representa um potencial de alta de 5,58% frente à cotação de 68 reais vista no fechamento do pregão de ontem (28). A sugestão para comprar os papéis foi reiterada.

Segundo Broad, a expectativa é que a companhia contabilize um aumento de 19,5% no Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), para 997,2 milhões de reais em 2011, influenciada pela plena operação das praças de pedágio, pelo crescimento do número de veículos e pelo avanço do preço cobrado nas tarifas.

Para a Ágora, o investimento nas ações da OHL Brasil “é uma forma de se defender contra o aumento da inflação no país”, já que os ajustes nos preços das tarifas dos pedágios administrados pela OHL Brasil são feitos de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M).

Outro fator apontado como positivo pelo analista são os “fortes investimentos” projetados para a companhia entre 2011 e 2015, principalmente nas concessões federais. A empresa investirá 4,3 bilhões de reais neste período, segundo estimativas da Ágora. Apenas neste ano, o total será de 1,065 bilhão de real.

Grande parte do montante virá do acordo firmado em 2009 entre a OHL Brasil e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Parte do financiamento de 3 bilhões de reais já foi concedida. O restante das parcelas deve ser liberado ainda neste ano, prevê a Ágora.

“O apoio do BNDES será muito importante para o financiamento destes investimentos, reduzindo o risco financeiro da empresa”, destacou Broad, mesmo apesar de projetar um aumento da alavancagem da empresa nos próximos anos. Em sua análise, o analista considerou uma taxa de pagamento de dividendos de 25% do lucro líquido ajustado.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame