Exame Invest
Mercados

JBS e BRF desabam na Bolsa com operação da Polícia Federal

PUBLICADO EM: 17.3.17 | 15H49
ATUALIZAÇÃO: 17.3.17 | 18H34
Executivos das companhias foram presos na operação da Polícia Federal chamada Carne Fraca e que foi deflagrada na manhã de hoje
JBS é alvo de operação da PF chamada Carne Fraca

Operação Carne Fraca: JBS e BRF são alvos

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

São Paulo - As ações da JBS e da BRF lideravam as perdas do Ibovespa na tarde desta sexta-feira (17). Os papéis da JBS registravam queda de 10,68% e da BRF de 8,13%. As ações eram negociadas em 10,66  reais e 36,75 reais, respectivamente.

O mercado repercute a Operação Carne Fraca que foi deflagrada pela Polícia Federal na manhã de hoje.

Em nota, a PF informou que aproximadamente 1.100 policiais federais estão cumprindo 309 mandados judiciais, sendo 27 de prisão preventiva, 11 de prisão temporária, 77 de condução coercitiva e 194 de busca e apreensão em residências e locais de trabalho dos investigados e em empresas supostamente ligadas ao esquema.

Segundo o jornal O Globo, entre os executivos que foram presos estão o gerente de Relações Institucionais do Grupo BRF, Roney Nogueira dos Santos, e o funcionário da Seara, do grupo JBS, Flavio Cassou.

O jornal afirma ainda que a decisão também prevê o bloqueio de contas bancárias e de aplicações financeiras de até 1 bilhão de reais e o bloqueio de outros bens de 46 pessoas, entre elas Flavio Cassou, do JBS, e Roney Nogueira dos Santos, do BRF. A Justiça determinou o bloqueio de até R$ 1 bilhão das contas de 46 investigados na operação.

A operação detectou em quase dois anos de investigação que as Superintendências Regionais do Ministério da Pesca e Agricultura do Estado do Paraná, Minas Gerais e Goiás “atuavam diretamente para proteger grupos empresariais em detrimento do interesse público”.

Posicionamento

Em comunicado enviado ao mercado, a JBS afirmou que não há nenhuma medida judicial contra os seus executivos e que a sua sede não foi alvo da operação. Confira o comunicado na íntegra.

A JBS S.A. (IBOV: JBSS3, OTCQX: JBSAY, "Companhia"; "JBS") comunica aos seus acionistas e ao mercado em geral que, em relação a operação realizada pela Polícia Federal na manhã de hoje, a JBS esclarece que não há nenhuma medida judicial contra os seus executivos. A empresa informa ainda que sua sede não foi alvo dessa operação. A ação deflagrada hoje em diversas empresas localizadas em várias regiões do país, ocorreu também em três unidades produtivas da Companhia, sendo duas delas no Paraná e uma em Goiás. Na unidade da Lapa (PR) houve uma medida judicial expedida contra um médico veterinário, funcionário da Companhia, cedido ao Ministério da Agricultura. A JBS e suas subsidiárias atuam em absoluto cumprimento de todas as normas regulatórias em relação à produção e a comercialização de alimentos no país e no exterior e apoia as ações que visam punir o descumprimento de tais normas. A JBS no Brasil e no mundo adota rigorosos padrões de qualidade, com sistemas, processos e controles que garantem a segurança alimentar e a qualidade de seus produtos. A companhia destaca ainda que possui diversas certificações emitidas por reconhecidas entidades em todo o mundo que comprovam as boas práticas adotadas na fabricação de seus produtos. A Companhia repudia veementemente qualquer adoção de práticas relacionadas à adulteração de produtos – seja na produção e/ou comercialização - e se mantém à disposição das autoridades com o melhor interesse em contribuir com o esclarecimento dos fatos.

A BRF também enviou um comunicado ao mercado afirmando que está colaborando com as autoridades para esclarecimento dos fatos. Disse ainda que cumpre as normas e regulamentos referentes à produção e comercialização de seus produtos.  Veja na íntegra.

BRF S.A. ("BRF" ou "Companhia") (BM&FBovespa: BRFS3; NYSE: BRFS), nos termos da Instrução CVM nº358, de 3 de janeiro de 2002, comunica aos seus acionistas e ao mercado em geral que, em relação à operação da Polícia Federal realizada na manhã desta sexta-feira, está colaborando com as autoridades para esclarecimento dos fatos. A companhia reitera que cumpre as normas e regulamentos referentes à produção e comercialização de seus produtos, possui rigorosos processos e controles e não compactua com práticas ilícitas. A BRF assegura a qualidade e a segurança de seus produtos e garante que não há nenhum risco para seus consumidores, seja no Brasil ou nos mais de 150 países em que atua.

 

 

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame