Exame Invest
Mercados

Londres poderá acessar mercado da UE se permitir imigração

PUBLICADO EM: 15.10.16 | 13H55
A chanceler alemã, Angela Merkel, disse que a Alemanha pretende manter laços amigáveis com o Reino Unido se Londres aceitar a livre imigração de cidadãos
Bandeira da União Europeia na frente do parlamento e do Big Ben, em Londres, dia 02/07/2016

Brexit: embora lamente a decisão do Reino Unido de deixar o bloco, Merkel disse que "não podemos trabalhar para, em última instância, colocar em dúvida toda a União Europeia"

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 1MIN

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse que a Alemanha pretende manter laços amigáveis com o Reino Unido, mas insistiu que Londres só terá acesso total ao mercado interno da União Europeia se permitir a livre imigração de cidadãos do bloco.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, que ainda não iniciou formalmente as negociações para a saída do Reino Unido da UE, parece disposta a dar prioridade ao controle de imigração.

Segundo Merkel, a UE deve manter sua posição, caso contrario isso abriria um precedente perigoso. Embora lamente a decisão do Reino Unido de deixar o bloco, a chanceler disse que "não podemos trabalhar para, em última instância, colocar em dúvida toda a União Europeia".

Merkel disse também que a Alemanha precisa fazer um "esforço nacional" para garantir que os migrantes que não consigam asilo deixem o país. O número de migrantes que buscam asilo na Alemanha caiu drasticamente, de 890 mil no ano passado para cerca de 213 mil nos primeiros nove meses de 2016. No entanto, autoridades dizem que é preciso aumentar os esforços para garantir que aqueles que tenham seus pedidos rejeitados deixem o país. Cerca de 60 mil saíram da Alemanha ou foram deportados entre janeiro e setembro. Fonte: Associated Press.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame