MERCADOS

No radar: presidente do GPA renuncia ao cargo e mais 11 balanços

PUBLICADO EM: 11.11.20 | 20H23
ATUALIZAÇÃO: 11.11.20 | 20H33
Confira abaixo os principais destaques corporativos da noite desta quarta-feira
Peter Estermann GPA

O GPA informou nesta noite que o presidente executivo do grupo, Peter Paul Estermann, renunciou ao cargo

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

Dando continuidade ao processo para cisão do Assaí, o GPA (PCAR3) informou que Peter Paul Estermann renunciou ao cargo de presidente executivo do grupo a partir de hoje, segundo comunicado enviado ao mercado nesta noite. Christophe Hidalgo, atual diretor financeiro do GPA, acumulará interinamente a posição, dando suporte à implementação da cisão, diz o grupo. 

Quer saber qual o setor mais quente da bolsa no meio deste vaivém? Assine a EXAME Research.

Marfrig

A Marfrig (MRFG3) viu seu lucro líquido crescer quase sete vezes no terceiro trimestre, atingindo 674 milhões de reais, ante 100 milhões de reais em igual período do ano passado. No entanto, abaixo do consenso da Bloomberg de 1,01 bilhão de reais. A receita líquida atingiu 16,83 bilhões de reais, avanço de 32% frente ao mesmo trimestre de 2019 e levemente acima do consenso de 16,71 bilhões de reais.

Adicionalmente, a companhia informou que seu conselho aprovou programa de recompra de até 4,21 milhões de ações com o prazo de 18 meses. 

Rumo

A Rumo (RAIL3) reportou lucro líquido de 171 milhões no terceiro trimestre, queda de 53,7% em relação ao ano anterior e abaixo do consenso da Bloomberg de 281,8 milhões de reais. A receita líquida operacional caiu 0,3%, na mesma base de comparação, para 2,05 bilhões de reais no período, levemente abaixo do consenso de 2,10 bilhões de reais.

Alupar 

A Alupar (ALUP11) registrou lucro líquido de 181,2 milhões de reais no terceiro trimestre, queda de 15% na comparação anual. A receita líquida ficou em 1,49 bilhão, avanço de 18% em relação ao mesmo trimestre de 2019. 

Taesa 

A Taesa (TAEE11) viu seu lucro líquido crescer em 77% no terceiro trimestre, em relação a um ano antes, para 631,9 milhões de reais, bem acima do consenso da Bloomberg de 187,5 milhões de reais. A receita líquida operacional avançou 57%, na mesma base de comparação, para 941,2 milhões de reais, também superior ao consenso de 389,8 milhões de reais. 

Carrefour 

O Carrefour (CRFB3) informou que pagou nesta data 376,9 milhões de reais em acordo para aquisição ou locação, conforme o caso, de 11 lojas e três postos de combustíveis da rede Makro, localizados em oito estados brasileiros, segundo fato relevante enviado ao mercado. A transação faz parte de acordo firmado em 16 de fevereiro, no qual o Carrefour Brasil acertou a compra de 30 lojas e 14 postos de combustíveis operados pelo Makro por 1,95 bilhão de reais.

MRV Engenharia

A MRV Engenharia (MRVE3) registrou lucro líquido de 158 milhões de reais no terceiro trimestre, queda de 1,3% na comparação anual, mas acima do consenso da Bloomberg de 136,7 milhões de reais. A receita líquida operacional ficou em 1,76 bilhão, avanço de 12% na mesma base de comparação e superior ao consenso de 1,64 bilhão de reais. 

Tecnisa

A Tecnisa (TCSA3) reportou prejuízo líquido de 35,4 milhões de reais no terceiro trimestre, queda de 32% na comparação anual. A receita líquida caiu 21% no período, na mesma base de comparação, para 59,1 milhões de reais. 

Adicionalmente, a construtora informou que prevê lançamentos de 1,2 bilhão a 1,5 bilhão de reais em valor geral de vendas, na parte Tecnisa, entre 2020 e 2021. 

CCR

A CCR (CCRO3) viu seu lucro líquido cair 65% no terceiro trimestre, na comparação anual, para 118,3 milhões de reais. O número ficou abaixo do consenso da Bloomberg de 238,5 milhões de reais. A receita líquida recuou 7,5%, para 2,23 bilhões de reais, também abaixo do consenso de 2,38 milhões de reais.  

Guararapes

A Guararapes (GUAR3) teve prejuízo líquido de 51,4 milhões de reais no terceiro trimestre, pior do que o consenso da Bloomberg de perdas de 46,0 milhões. A receita líquida ficou em 1,52 bilhão de reais no período, queda de 19% na comparação anual, mas acima do consenso de 1,32 bilhão de reais, 

Locaweb

A Locaweb reportou lucro líquido de 7,8 milhões de reais no terceiro trimestre, avanço de 30,6% em relação ao mesmo período do ano passado. A receita líquida operacional ficou em 126,2 milhões de reais, superior em 23,8% do registrado um ano antes.

Metal Leve

A Metal Leve (LEVE3) viu seu lucro líquido cair em 39,7% no terceiro trimestre, em relação a um ano antes, para 41,7 milhões de reais. O número ficou abaixo do consenso da Bloomberg de 64,2 milhões de reais. A receita líquida avançou 7,1%, para 691,2 milhões de reais.

Fras-Le

A Fras-Le (FRAS4) reportou receita líquida de 453,6 milhões de reais no terceiro trimestre, avanço de 36,2% na comparação anual. O lucro líquido ficou em 41,7 milhões de reais, crescimento de 247,7% na mesma base de comparação. 

Ibovespa acima dos 100.000 pontos: saiba o que se pode esperar da bolsa e das principais ações com a EXAME Research

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame