Exame Invest
Mercados

PANORAMA1-Indústria é destaque local; exterior traz ADP

PUBLICADO EM: 2.2.11 | 6H41
SÃO PAULO, 2 de fevereiro (Reuters) A quarta-feira reserva aos investidores do mercado brasileiro dados do IBGE sobre a produção industrial do país e a evolução das commodities apurada pelo IC-Br do Banco Central, divulgações importantes em razão dos comentários recentes da autoridade monetária nacional sobre ambos os temas. Na ata de sua última reunião, […]
EXAME.com

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

SÃO PAULO, 2 de fevereiro (Reuters) A quarta-feira
reserva aos investidores do mercado brasileiro dados do IBGE
sobre a produção industrial do país e a evolução das
commodities apurada pelo IC-Br do Banco Central, divulgações
importantes em razão dos comentários recentes da autoridade
monetária nacional sobre ambos os temas.

Na ata de sua última reunião, o Copom avaliou como
"relevantes os riscos derivados da persistência do descompasso
entre as taxas de crescimento da oferta e da demanda", enquanto
também destacou que "os preços de importantes commodities se
elevaram, sem a contrapartida de movimentos, em sentido
contrário, de ativos domésticos".

Para a produção industria, as medianas das projeções
apuradas pela Reuters apontam expansão de 0,85 por cento ante
novembro e crescimento de 5,3 por cento frente um ano antes. Em
novembro, houve retração de 0,1 por cento e alta de 5,3 por
cento, respectivamente.

No exterior, começa o feriado de Ano Novo na China e na
agenda destacam-se os números da ADP sobre o mercado de
trabalho norte-americano --um aperitivo antes dos números
oficiais do governo sobre o comportamento da folha de pagamento
não-agrícola dos Estados Unidos e a taxa de desemprego no
primeiro relatório de 2011, previstos para sexta-feira.

A expectativa é de que o relatório sobre o setor privado da
ADP Employer Services mostre geração de 145 mil empregos, após
297 mil contratações em dezembro.

O tom, por ora, era predominantemente positivos, com
investidores ainda sob efeito de indicadores recentes sobre a
atividade manufatureira global, bem como resultados
corporativos. O índice MSCI para ações globais
subia 0,45 por cento e o para emergentes avançava
0,71 por cento às 7h40. O MSCI da região Ásia-Pacífico com
exceção do Japão ganhava 0,98 por cento.

Na Ásia, o Nikkei fechou em alta de 1,78 por cento
em Tóquio. Não houve negociação com o índice da bolsa de Xangai
em razão do feriado para o ínicio do Ano do Coelho. Na
Europa, o FTSEurofirst 300 registrava acréscimo de
0,21 por cento. O contrato futuro do S&P 500 oscilava ao
redor da estabilidade nos EUA.

Entre as moedas, o índice DXY , que mede o valor do
dólar ante uma cesta com as principais divisas globais, cedia
0,08 por cento. O euro mostrava variação tímida, a
1,3823 dólar. E ante a moeda japonesa , o dólar subia
0,16 por cento, a 81,44 ienes. Nesse contexto, o petróleo
verificava elevação de 0,16 dólar, a 90,93 dólares, nas
operações eletrônicas em Nova York.

De volta ao mercado local, investidores também devem
monitorar informações previstas para após o fechamento dos
negócios, como o resultado trimestral da Redecard e a
precificação de oferta de ações da Tecnisa --empresa do setor
imobiliário-- e da Magnesita --fabricante de refratários.

Veja como ficaram os principais mercados na terça-feira:

CÂMBIO

O dólar fechou a 1,664 real, em queda de 0,60 por cento
frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa subiu 1,91 por cento, para 67.847 pontos. O
volume financeiro na bolsa era de 6,36 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

O índice dos principais ADRs brasileiros subia 1,91 por
cento perto do fechamento, a 36.041 pontos.

JUROS

No call das 16h, o DI janeiro de 2012 mostrava 12,38 por
cento ao ano, mesmo nível do ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,3831 dólar,
ante 1,3685 dólar no fechamento anterior.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40,
subiu para 135,438 por cento do valor de face, oferecendo
rendimento de 2,655 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil caía 12 pontos, para 166 pontos-básicos. O
EMBI+ recuava 17 pontos, a 255 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

Perto do fechamento, o índice Dow Jones subia 1,3 por
cento, a 12.046 pontos, o S&P 500 avançava 1,68 por
cento, a 1.307 pontos, e o Nasdaq tinha alta de 1,90
por cento, aos 2.751 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto caiu 1,42
dólares, ou 1,54 por cento, a 90,77 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos,
referência do mercado, caía, oferecendo rendimento de 3,451 por
cento ante 3,374 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no
terminal de notícias da Reuters pelo código )

(Reportagem de Paula Arend Laier; Edição de Vanessa
Stelzer)

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame