Petrobras avalia captação em euros após alta do custo samurai | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

Petrobras avalia captação em euros após alta do custo samurai

PUBLICADO EM: 7.4.11 | 8H38
Custo das emissões em iene atrapalha plano de investimento de US$ 224 bilhões da estatal
Refinaria da Petrobras em São Paulo

Refinaria da Petrobras em São Paulo: Japão paralisou mercado de bônus após terremoto

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Santiago/Rio de Janeiro - A Petróleo Brasileiro SA estuda acessar o mercado de dívida em euros pela primeira vez. O custo de captação em ienes dobrou desde o terremoto no Japão no mês passado, limitando as opções para financiar o plano de investimento de US$ 224 bilhões da estatal.

O custo de captação em euros para companhias da América Latina vem caindo em relação às taxas em dólar. O prêmio exigido pelos investidores para comprar títulos de governos da região em dólares em vez de eurobônus subiu de 153 pontos-base em 19 de agosto, o menor em 10 meses, para 221 pontos esta semana, segundo o JPMorgan Chase & Co.

O diretor financeiro da estatal, Almir Barbassa, chegou a falar sobre uma possível captação em ienes na semana passada para ampliar as alternativas de financiamento depois de vender US$ 6 bilhões de títulos em dólares em janeiro. Anteontem, ele mencionou a possibilidade de transação em euros ou libras. No Japão, o mercado de bônus samurai está parado após o terremoto.

“Com o mercado de ienes fechado, os emissores têm motivo para buscar diversificação”, disse Gianna Bern, presidente da consultoria para o setor petrolífero Brookshire Advisory and Research em Chicago e ex-diretora da Fitch Ratings. “A Petrobras tem uma boa história para contar e não deve ter problemas em achar demanda no outro lado do Oceano Atlântico.”

Spread no Japão

A diferença de rendimentos entre a dívida corporativa e a dívida pública no Japão aumentou para 63 pontos-base em 6 de abril, a maior desde maio de 2009, segundo dados da Nomura Holdings Inc. Em 10 de março, véspera do terremoto, a diferença estava em 27 pontos. Nos Estados Unidos, o spread entre esses tipos de ativos estava em 151 pontos-base em 10 de março e agora está em 147.

O rendimento dos bônus da Petrobras com cupom de 5,375 por cento e vencimento em 2021 aumentou 12 pontos-base para 5,37 por cento desde que os papéis começaram a ser negociados este ano. A emissão realizada em 20 de janeiro se igualou à da General Electric Capital Corp, as maiores no mercado de dívida corporativa dos EUA desde fevereiro de 2010. O rendimento de títulos de prazo similar da Petróleos Mexicanos recuou 5 pontos- base no mesmo período.

A perspectiva de valorização do barril de petróleo, que subiu 19 por cento desde a escalada da crise política no Oriente Médio em meados de fevereiro, vai aumentar a demanda por títulos da Petrobras na Europa, disse Denis Girault, que ajuda a administrar US$ 1 bilhão em dívida de mercados emergentes na Union Bancaire Privee em Zurique.

Plano de investimento

A estatal sediada no Rio de Janeiro está levando adiante o maior plano de investimento do setor petrolífero mundial para extrair e refinar petróleo depositado em águas profundas da região do pré-sal.

“Eles precisam de bilhões, mas existe apetite no momento”, disse ontem Girault em entrevista por telefone. “Há interesse agora de investidores por tudo o que é relacionado a petróleo.”

Empresas brasileiras captaram 3,75 bilhões de euros (US$ 5,4 bilhões) em títulos denominados na moeda única desde o início do ano passado, incluindo 750 milhões de euros levantados pela Vale SA em sua primeira emissão nessa moeda.


Leia também

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame