Exame Invest
Mercados

Petrobras deixa índice volátil em sessão com aversão a risco

PUBLICADO EM: 16.12.14 | 11H15
Bovespa mostrava volatilidade no fim da manhã desta segunda-feira, em meio à recuperação das ações da Petrobras e ganhos da mineradora Vale
Operadores na Bovespa

Operadores na Bovespa: 4 000% de valorização real em 46 anos

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo - A Bovespa mostrava volatilidade no fim da manhã desta segunda-feira, em meio à recuperação das ações da Petrobras e ganhos da mineradora Vale, enquanto o quadro de aversão a risco no exterior ainda pressiona o principal índice da bolsa paulista.

Às 11h44, o Ibovespa tinha queda de 0,33 por cento, a 46.864 pontos. O volume financeiro somava 1,7 bilhão de reais.

No exterior, a apreensão com a contínua queda dos preços do petróleo acentuou-se com a alta taxa básica de juros na Rússia de 10,5 para 17 por cento para enfrentar o colapso do rublo , enquanto dados da China mostraram contração da atividade industrial.

De acordo com o gerente de renda variável da Fator Corretora, Frederico Ferreira Lukaisus, os mercados emergentes sofriam de modo geral nesta sessão. "No caso da Bovespa, além do impacto da queda das commodities, do noticiário de desaceleração de China, há a questão da Petrobras", disse.

"Há muita especulação com os papéis e qualquer notícia ganha proporcões gigantes, que se refletem no papel", acrescentou, citando como exemplo especulações sobre possível mudança da diretoria da companhia.

Os papéis da estatal abriram em forte queda nesta quarta-feira, mas reverteram as perdas. As preferenciais eram negociadas com em alta de 4,14, a 9,56 reais, após terem saído a 8,56 reais no pior momento do dia. Os papéis ordinários subiam 3,40 por cento, a 8,81 reais. Na mínima, tocaram 8 reais.

O desempenho dos papéis da mineradora Vale também davam suporte ao Ibovespa nesta sessão, apesar dos dados mais fracos da indústria chinesa.

O setor siderúrgico era destaque positivo, com Usiminas à frente, enquanto segue a briga entre a Nippon Steel e a Ternium pelo controle da siderúrgica. CSN e Gerdau também avançavam.

Dados do Instituto Aço Brasil (IABr) mostraram mais cedo que a produção brasileira de aço bruto em novembro somou 2,772 milhões de toneladas, crescimento de 2,4 por cento sobre o resultado de um ano antes. Ao mesmo tempo, distribuidores de aço plano do Brasil esperam alta de 2 por cento nas vendas em 2015.

A alta do dólar frente ao real decorrente do mau humor externo fazia as ações da Gol registrarem a maior queda do Ibovespa, apesar da nova queda nos preços do petróleo. O noticiário desfavorável da Rússia pesava sobre exportadoras de carne como JBS, que se beneficiaram recentemente de embarques para aquele país.

A BM&FBovespa divulgou nesta manhã a segunda prévia para a carteira do Ibovespa que irá vigorar de janeiro a abril de 2015.

A novidade frente à primeira prévia foi a exclusão da Rossi Residencial, enquanto a saída de Eletropaulo e a entrada da Multiplan, já anunciadas na primeira prévia, foram mantidas.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame