Petrobras pesa à tarde e Bovespa amplia perdas no final | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

Petrobras pesa à tarde e Bovespa amplia perdas no final

PUBLICADO EM: 13.1.11 | 17H34
Por Claudia Violante São Paulo - Depois de subir 2,25% em três sessões seguidas de alta, a Bolsa de Valores de São Paulo sucumbiu hoje. Os investidores aproveitaram o clima mais ameno no exterior para emplacarem uma realização de lucros, em que ações de bancos e siderúrgicas caíram em bloco. Por outro lado, as ações […]
EXAME.com

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Por Claudia Violante

São Paulo - Depois de subir 2,25% em três sessões seguidas de alta, a Bolsa de Valores de São Paulo sucumbiu hoje. Os investidores aproveitaram o clima mais ameno no exterior para emplacarem uma realização de lucros, em que ações de bancos e siderúrgicas caíram em bloco. Por outro lado, as ações de empresas do setor elétrico subiram. Petrobras, que em boa parte do dia ajudou a segurar o índice Bovespa bem próximo da estabilidade, virou para baixo no meio da tarde. As ações da mineradora Vale acompanharam, mas com menor ímpeto.

O Ibovespa terminou o dia em baixa de 1,27%, aos 70.721,44 pontos. Na mínima, registrou 70.719 pontos (-1,28%) e, na máxima, atingiu os 71.924 pontos (+0,41%). No mês e no ano, a Bolsa acumula alta de 2,05%. O giro financeiro totalizou R$ 6,541 bilhões. Os dados são preliminares.

A realização hoje foi puxada pelo recuo das Bolsas norte-americanas, depois de um indicador de pedidos de auxílio-desemprego ruim, e também depois que Itália e Espanha cumpriram o previsto e venderam seus papéis nos leilões de títulos. As bolsas europeias fecharam em alta, com destaque para os papéis do setor financeiro.

Nos EUA, além dos pedidos de auxílio-desemprego (alta de 35 mil ante previsão de redução de 2 mil), outro dado pior do que o previsto foi o índice de preços ao produtor, que subiu 1,1% em dezembro em relação a novembro, ante previsão de alta de 0,8%. A alta foi a maior registrada pelo índice desde janeiro de 2010 e a sexta consecutiva, em bases mensais. Por outro lado, o déficit no comércio externo do país inesperadamente recuou pelo terceiro mês seguido em novembro.

Às 18h20, o Dow Jones recuava 0,32%, o S&P perdia 0,18% e o Nasdaq caía 0,26%.

No Brasil, a realização de lucros atingiu quase dois terços do Ibovespa e, entre as baixas, destaque para a queda de bancos e siderúrgicas. Vale, que operou em alta em boa parte do dia, virou no meio da tarde e assim seguiu até o final. Vale ON terminou em baixa de 0,70% e PNA, em queda de 0,32%.

Petrobras também não sustentou os ganhos da abertura e caiu, com maior vigor. Petrobras ON, -3,08%, e PN, -2,11%. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), o contrato para fevereiro perdeu 0,50%, a US$ 91,40 o barril. Os dois papéis já começam a ser influenciados pelo jogo do vencimento de opções sobre ações na próxima segunda-feira.


Leia também

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame