Exame Invest
Mercados

Petrobras sobe, mas não evita queda de 1,71% da Bolsa

PUBLICADO EM: 2.2.11 | 17H31
Por Claudia Violante São Paulo - Depois de uma curta trégua ontem, a Bolsa de Valores de São Paulo voltou a exibir queda forte na sessão de hoje. As ações da Petrobras subiram, mas os papéis de Vale, de empresas siderúrgicas e de bancos operaram na outra ponta e empurraram o índice Bovespa de volta […]
EXAME.com

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Por Claudia Violante

São Paulo - Depois de uma curta trégua ontem, a Bolsa de Valores de São Paulo voltou a exibir queda forte na sessão de hoje. As ações da Petrobras subiram, mas os papéis de Vale, de empresas siderúrgicas e de bancos operaram na outra ponta e empurraram o índice Bovespa de volta aos 66 mil pontos.

O Ibovespa fechou em queda de 1,71%, aos 66.688,48 pontos. Na mínima do pregão, registrou 66.643 pontos (-1,78%) e, na máxima, 68.012 pontos (+0,24%). No mês, acumula ligeira alta, de 0,17% e, no ano, perda de 3,77%. O giro financeiro totalizou R$ 7,517 bilhões. Os dados são preliminares.

Segundo analistas, os investidores voltaram a remoer as notícias que fizeram o Ibovespa cair quase 4% em janeiro. Hoje, com uma informação adicional: o resultado da produção industrial brasileira em dezembro. A queda inesperada de 0,7% do indicador ante novembro reacendeu as preocupações sobre como será conduzida a política monetária brasileira e a possibilidade de alguma medida prudencial do governo prejudicar o investidor em ações.

Uma das hipóteses que vêm sendo ouvidas nas mesas é o aumento da alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre o capital estrangeiro que ingressa na Bolsa. Hoje, até o diretor-presidente da BM&FBovespa, Edemir Pinto, tocou no tema. "O mercado é afetado pelo sentimento de que as regras podem mudar do dia para a noite", afirmou.

No exterior, a intensificação dos protestos no Egito foram pano de fundo aos negócios, que contou ainda com o rebaixamento da nota de crédito da Irlanda pela agência de classificação de risco Standard & Poor's e bons números de criação de vagas no mercado privado norte-americano. Às 18h20, as bolsas americanas operavam perto da estabilidade, o Dow Jones em alta de 0,11%, o S&P-500 em queda de 0,14% e o Nasdaq em elevação de 0,12%.

Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), o contrato do petróleo WTI para março subiu 0,10%, para US$ 90,86, ajudando os papéis da Petrobras. A ação ordinária (ON) da Petrobrás valorizou 1,01%, no segundo maior ganho do Ibovespa, e a preferencial (PN), de 0,58%. Vale, siderúrgicas e bancos terminaram no negativo.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame