Exame Invest
Mercados

Petróleo fecha a US$ 81,51 e cai 3,97% na semana

PUBLICADO EM: 19.11.10 | 18H04
Por Álvaro Campos Nova York - Os preços dos contratos futuros de petróleo fecharam em leve baixa, com os operadores acompanhando o problema das dívidas soberanas da zona do euro e a medida de aperto monetário na China. O petróleo fechou a semana com perda de 3,97%. Os contratos de petróleo com entrega para dezembro […]
EXAME.com

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Por Álvaro Campos

Nova York - Os preços dos contratos futuros de petróleo fecharam em leve baixa, com os operadores acompanhando o problema das dívidas soberanas da zona do euro e a medida de aperto monetário na China. O petróleo fechou a semana com perda de 3,97%.

Os contratos de petróleo com entrega para dezembro recuaram US$ 0,34 (0,42%), fechando a US$ 81,51 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex). O volume de negócios foi baixo, já que o contrato expirou no fechamento da sessão. O contrato para janeiro, que foi o mais negociado, fechou em queda de US$ 0,44 (0,53%), a US$ 81,98. Na plataforma ICE, o petróleo do tipo Brent teve queda de US$ 0,71 (0,83%), fechando a US$ 84,34 o barril.

"Hoje foi um dia de consolidação, com o foco mudando para o contrato de janeiro", comentou Jim Ritterbusch, diretor da Ritterbusch & Associates.

O banco central da China elevou o recolhimento compulsório dos bancos em 0,50 ponto porcentual, tentando conter a inflação e evitar um superaquecimento da economia. Os receios sobre um aperto monetário no país pesaram sobre o petróleo nos últimos dias. Um crescimento mais lento lá pode afetar a demanda pela commodity, já que a China é o segundo maior consumidor mundial de petróleo, atrás apenas dos EUA.

Mesmo assim, o aumento do compulsório bancário é menos drástico do que uma elevação da taxa básica de juros, que poderia ter afetado mais fortemente os mercados, disse Bill O'Grady, estrategista-chefe de mercado da Confluence Investment Management. "Elevar as exigências de compulsório é uma maneira menos onerosa de tentar lidar com os problemas da inflação", comentou.

O euro subiu em relação ao dólar nesta sexta-feira, com investidores esperando por um acordo de ajuda para a Irlanda. Autoridades do país continuam em conversas com representantes da União Europeia (UE), do Banco Central Europeu (BCE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI). Entretanto, o Allied irish Banks alertou hoje que está se tornando cada vez mais dependente da linha de crédito de contingência do BCE. Um dólar mais fraco geralmente é benéfico para o petróleo, já que a commodity é denominada na moeda norte-americana e assim se torna mais barata para compradores que usam outras moedas. As informações são da Dow Jones.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame