PMI de indústria da China levanta dúvidas força da economia | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

PMI de indústria da China levanta dúvidas força da economia

PUBLICADO EM: 1.5.13 | 9H29
O Índice de Gerentes de Compras oficial caiu para 50,6 em abril ante a máxima de 11 meses atingida em março
Empregado trabalhando em uma fábrica de exportação de aço em Taiyuan, na Província de Shanxi, na China

O novo governo da China sinalizou que irá acelerar o investimento em infraestrutura, o que segundo analistas fornecerá suporte para a economia no segundo trimestre

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Pequim - O crescimento do setor industrial da China desacelerou inesperadamente em abril em meio a uma queda nas novas encomendas para exportação, levantando dúvidas sobre a força da economia após um primeiro trimestre decepcionante.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial caiu para 50,6 em abril ante a máxima de 11 meses atingida em março de 50,9. Analistas esperavam leitura de 51,0 em abril.

O resultado do PMI oficial refletiu uma queda similar na preliminar do PMI do HSBC divulgada na semana passada, sugerindo que o motor de exportações da China enfrenta obstáculos provenientes da recessão na zona do euro e crescimento fraco nos Estados Unidos.

O novo governo da China sinalizou que irá acelerar o investimento em infraestrutura, o que segundo analistas fornecerá suporte para a economia no segundo trimestre.

"No geral, meu sentimento é de que a China está crescendo, mas de forma mais lenta do que as pessoas esperavam há um mês", disse Alvin Pontoh, economista do TDSecurities.

"Mas não acho que seja motivo de alarme...isso é provavelmente o que a nova administração está buscando. Estruturalmente, a China não pode mais crescer 9% ou 10%. Portanto nos próximos anos é de se esperar que o crescimento seja menor, digamos de 7 por cento."

Os dados do PMI oficial mostraram que o subíndice de novas encomendas caiu para 51,7 em abril ante 52,3 em março, permanecendo acima da marca de 50 que separa expansão de contração. Entretanto, o índice de novas encomendas para exportação caiu para 48,6 ante 50,9 em março, sugerindo que elas estão encolhendo.


Leia também

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame