Exame Invest
Mercados

Retorno de Portugal ao mercado em 2013 é possível, diz FMI

PUBLICADO EM: 18.5.12 | 11H05
País está implementando dolorosas medidas de austeridade sob os termos do pacote de resgate de 78 bilhões de euros
Bandeira de Portugal

Tais desafios incluem reconquistar a competitividade do custo externo, acertar a velocidade de desalavancagem dos balanços do setor privado e resolver o alto desemprego

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 1MIN

Viena - Portugal tem muito trabalho a fazer para ganhar novamente o acesso aos mercados de capitais no ano que vem conforme programado, apesar de o Fundo Monetário Internacional (FMI) assumir que o país o fará, afirmou nesta sexta-feira o representante do país no Fundo, Albert Jaeger.

"O reacesso pode ser difícil, mas pode acontecer no ano que vem", disse Jaeger respondendo a uma pergunta em entrevista à imprensa em Viena.

O chefe da missão do FMI para Portugal, Abebe Selassie, disse em abril que "não seria fácil", mas o acesso ao mercado "ainda poderia ser possível" para o país em 2013.

Portugal está implementando dolorosas medidas de austeridade sob os termos do pacote de resgate de 78 bilhões de euros do FMI e da União Europeia (UE), enquanto enfrenta a recessão mais profunda desde a década de 1970.

Jaeger disse que o FMI estava "muito feliz" de que o programa de recuperação econômica de Portugal está caminhando de acordo com o plano, mas que o país ainda enfrenta desafios.

Tais desafios incluem reconquistar a competitividade do custo externo, acertar a velocidade de desalavancagem dos balanços do setor privado e resolver o alto desemprego.

Jagger sugeriu ainda que Portugal precisa delegar mais e garantir que um Ministério de Finanças forte que seja capaz de implementar os compromissos feitos pelos país.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame