MERCADOS

S&P e Moody’s testemunham a chegada de um novo concorrente de peso

PUBLICADO EM: 19.11.10 | 15H06
Meredith Whitney, analista mais respeitada de Wall Street, prepara ofensiva para aproveitar queda na credibilidade das agências após a crise financeira
Meredith Whitney

Meredith Whitney em entrevista ao FT: “O nosso sistema é muito mais transparente e a credibilidade muito maior”

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo – Com a credibilidade fragilizada após graves erros de avaliação durante a crise financeira internacional, a Moody’s, Standard & Poor’s e Fitch Ratings - principais agências de rating do mundo – testemunham agora a chegada de uma concorrente que pode acirrar o mercado. A analista Meredith Whitney, uma das mais respeitadas de Wall Street, prepara a criação de sua própria companhia de análise de crédito.

Ex-funcionária da Oppenheimer, Meredith ganhou status ao publicar projeções pessimistas, e acertadas, sobre os bancos americanos antes do estouro da crise, principalmente para o Citi em 2007. Em novembro daquele ano, um relatório de Meredith provocou uma forte queda das ações do setor financeiro nos EUA. A analista projetava que o Citi precisaria cortar dividendos ou vender ativos para enfrentar uma perda de 30 bilhões de dólares em capital.
“Ninguém teve a coragem de imprimir o que eu escrevi no relatório”, disse a analista. Meredith aproveitou a fama conquistada em Wall Sreet e criou a própria empresa de análise. Com a Meredith Whitney Advisory Group ela continuou com o seu prestígio junto aos investidores e a movimentar os mercados com os “calls” para as ações do setor financeiro.
Agora, a analista prepara mais um desafio. Em entrevista publicada hoje no Financial Times, Meredith disse que pedirá registro para operar como uma agência de rating. A sua empresa já realiza a análise de crédito do mercado trilionário de títulos de dívida nos EUA, mas apenas as disponibiliza para os seus clientes. A ideia é alterar o modelo de negócios e passar a realizar ratings sob encomenda dos emissores, ou seja, o mesmo modelo de negócios da Moody’s e S&P.
“Estamos no processo de solicitar a licença ao NRSRO (Nationally Recognized Statistical Rating Organizations) com a intenção de ser um competidor formal para a S&P e a Moody’s”, disse ela ao FT. Apesar de utilizar o mesmo sistema que as outras agências, Meredith garante: “O nosso sistema é muito mais transparente e a credibilidade muito maior”, explicou.
Segundo ela, com as estruturas de compliance e de negócio bem consolidadas não há problemas de conflitos de interesse. As agências de rating têm sido alvo de críticas desde o estopim da crise. À época, muitos produtos financeiros estruturados e lastreados em hipotecas considerados AAA revelaram ter uma qualidade de pagamento muito abaixo da avaliada pelas agências.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame