S&P mantém rating do Reino Unido em AAA | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

S&P mantém rating do Reino Unido em AAA

PUBLICADO EM: 20.12.13 | 5H51
A perspectiva foi mantida negativa
Sede do Banco da Inglaterra em Londres, no Reino Unido

Sede do Banco da Inglaterra em Londres: a S&P projetou que a alta do PIB no próximo ano deve superar os níveis de 2008 pela primeira vez desde a crise financeira global

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo - A agência de classificação de risco S&P manteve o rating de longo prazo do Reino Unido em AAA. A perspectiva também foi mantida em negativa, assim como a nota de curto prazo continuou em A-1+.

A S&P disse que o governo do Reino Unido continua a se beneficiar da "excepcional flexibilidade monetária", em um momento no qual a economia mostra sinais de recuperação, apesar de amplamente fundamentada no consumo privado e nos investimentos residenciais.

A agência de classificação de risco também manteve os ratings AAA/A-1+, de longo e curto prazo, do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês).

"Nossas notas no Reino Unido são sustentadas pela nossa visão do compromisso do governo em consolidar o déficit orçamentário em direção a um equilíbrio até 2018, e a habilidade dos formuladores de políticas e a vontade para solucionar rapidamente desafios econômicos", afirmou a agência, em relatório.

A S&P espera que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) real alcance uma média de mais de 2% de 2013 a 2016, o que é "notavelmente maior do que quando afirmamos os ratings do Reino Unido em abril deste ano".

O cenário base da agência de classificação de risco prevê que o Reino Unido apresentará uma melhor produtividade no próximo ano, o que deverá sustentar o retorno a ganhos reais nos salários e um crescimento mais sustentável. Ao mesmo tempo, eles preveem uma melhora na balança comercial, sujeita à demanda externa.

A S&P projetou que a alta do PIB no próximo ano deve superar os níveis de 2008 pela primeira vez desde a crise financeira global. No ano fiscal de 2014-2015, as projeções da S&P para as necessidades de financiamento do setor público do Reino Unido caíram mais 1% do PIB. Essa poupança deve se repetir nos próximos quatro anos, influenciada por um ciclo empresarial mais forte, afirmou a agência.

Nesse contexto, a dívida geral do governo deve atingir o pico um ano antes do previsto anteriormente, em 2015, e a um nível mais baixo, a 89% do PIB.

A agência de classificação de risco também elogiou a flexibilidade monetária do Reino Unido, ao permitir que salários e preços se ajustem rapidamente em relação aos seus parceiros comerciais. "Isso acelera a resiliência econômica e a competitividade sem gerar deflação."

As projeções da agência de classificação de risco assumem que o Reino Unido permanecerá como membro da União Europeia.


Leia também

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame