Exame Invest
MERCADOS

Vale reduz queda e Bovespa fecha em baixa de 0,06%

PUBLICADO EM: 25.7.12 | 18H13
O Ibovespa terminou o dia com declínio discreto de 0,06%, aos 52.607,54 pontos
Pregão da Bovespa

O giro financeiro foi de R$ 4,647 bilhões

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo - A Bovespa encerrou o pregão com a quarta queda seguida, puxada pelas ações da Vale. Na manhã desta quarta-feira, oritmo na Bolsa foi ditado principalmente pelo mercado norte-americano. À tarde, o mercado acionário doméstico refletiu mais o comportamento dos papéis da mineradora. A queda do Ibovespa foi minimizada, porque Petrobras fechou no azul e, mais perto do fechamento, os títulos da Vale reduziram as perdas.

O Ibovespa terminou o dia com declínio discreto de 0,06%, aos 52.607,54 pontos. Nos quatro dias de desvalorização, o índice acumula recuo de 4,94%. No mês, a perda é de 3,21% e, no ano, de 7,31%. Na mínima do dia, o índice atingiu 52.346 pontos (-0,56%) e, na máxima, 53.233 pontos (+1,13%). O giro financeiro ficou em R$ 5,0 bilhões. Os dados são preliminares.

"Hoje o mercado ficou totalmente focado em Vale. A mineradora foi a mão do mercado e o papel do momento", avaliou o gerente de mesa de renda variável da Corretora Hcommcor, Ariovaldo Santos. Mais cedo, os papéis da mineradora tiveram queda maior, também acompanhando a volatilidade externa. A ação ON fechou com recuo de 0,53% e a PNA cedeu 0,09%.

No final desta tarde, a Vale deve divulgar o balanço do segundo trimestre do ano. Analistas ouvidos pela Agência Estado calculam que o lucro líquido da companhia deverá somar US$ 3,18 bilhões, com queda de 16,7% em relação ao lucro de US$ 3,827 bilhões do trimestre anterior e retração de 50,6% ante igual período do ano passado (US$ 6,452 bilhões).


Os papéis da Petrobras fizeram um contraponto e impediram uma queda maior do índice. A ação ON subiu 1,30% e a PN avançou 1,12%.

As ações PN da Vivo terminaram o dia em queda (-1,52%), refletindo o recuo de 5,6% no lucro líquido no segundo trimestre ante igual período do ano passado, para R$ 1,085 bilhão.

No exterior, o otimismo foi ditado pela expectativa de o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) adotar um novo afrouxamento monetário. A percepção se deu após a divulgação de dados ruins sobre vendas de moradias novas nos EUA.

Para o gerente Santos, o otimismo foi exagerado e a autoridade monetária norte-americana só deve se decidir pelo instrumento se houver um agravamento da crise na Europa e, consequentemente, nos EUA. "O otimismo foi exagerado. O Fed só deve tomar alguma atitude quando tudo piorar. Ele (Fed) não vai usar todas as cartas agora."

Em Nova York, o índice Dow Jones fechou com ganho de 0,47%. Já o S&P 500 e o Nasdaq caíram 0,03% e 0,31%, respectivamente. A queda na bolsa eletrônica foi atribuída ao lucro e à receita da Apple abaixo das estimativas, principalmente devido às vendas relativamente fracas do iPhone.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame