Exame Invest
Minhas Finanças

Auxílio emergencial: 2,72 milhões recebem a primeira parcela nesta quinta

PUBLICADO EM: 15.4.21 | 6H10
ATUALIZAÇÃO: 16.4.21 | 14H27
Deste total, 2,49 milhões são beneficiários nascidos no mês de maio. Outros 236 mil pessoas foram incluídos no programa
App auxílio emergencial da Caixa

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

A Caixa paga nesta quinta-feira, 15, a primeira parcela do auxílio emergencial para 2,72 milhões de beneficiários. Deste total, 2,49 milhões são beneficiários nascidos no mês de maio. Outros 236 mil pessoas foram incluídos no programa após análise do reprocessamento de um novo lote realizado pelo DataPrev. O valor será creditado na conta poupança social digital. 

Para os beneficiários aprovados no último lote, a primeira parcela será paga para os nascidos em janeiro, fevereiro, março, abril e maio. Os nascidos nestes meses receberão a primeira parcela hoje. 

A partir desta data, os valores já podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem para pagamento de boletos, compras na internet e pelas maquininhas em mais de um milhão de estabelecimentos comerciais. O saque do dinheiro só será liberado a partir do dia 14 de maio.O pagamento do auxílio emergencial foi escalonado pelas datas de nascimento dos beneficiários.

Veja calendário abaixo: 

Calendário do auxílio emergencial 2021

Calendário do auxílio emergencial 2021 (Caixa/Reprodução)

 Contestação

O Ministério da Cidadania explicou para as pessoas que tiveram o resultado da solicitação divulgado no dia 10 deste mês, no lote de 236 mil pessoas, que o período para contestação segue até 22 de abril. Segundo a pasta, novos processamentos continuam sendo realizados.

Caso o cidadão entenda que cumpre todos os critérios de elegibilidade e não está na lista de contemplados, ele deve clicar na opção que aparece no Portal de Consultas da Dataprev e enviar o pedido de contestação. 

O calendário de repasses da primeira parcela será finalizado no dia 30 deste mês. O modelo de escalonamento das transferências, adotado no ano passado, segue com o objetivo de evitar filas e aglomerações nas agências da Caixa e nas lotéricas. O cronograma para saques tem início em 4 de maio para nascidos em janeiro e vai até 4 de junho para quem faz aniversário em dezembro. 

Para beneficiários do Bolsa Família, nada muda. Eles receberão os repasses de acordo com o calendário habitual do programa, que em abril tem início no dia 16. O governo verifica se o trabalhador cumpre as regras para receber o benefício e se o valor do Bolsa Família é menor do que o auxílio emergencial.Veja calendário: 

Poupança digital

A conta poupança social digital não cobra tarifas de manutenção caso o limite mensal de movimentação seja de até 5 mil reais. A movimentação do valor dos benefícios pode ser realizada digitalmente por meio do uso do aplicativo Caixa Tem. Basta baixá-lo em um smartphone e seguir o passo a passo para autenticar o uso.

Pelo aplicativo, é possível realizar compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos com o cartão de débito virtual e QR Code. O trabalhador também pode pagar contas de água, luz, telefone, gás e boletos em geral pelo próprio aplicativo ou nas lotéricas pela opção “Pagar na Lotérica”.

Caso tenha dificuldades em fazer pagamentos online, após o prazo previsto no calendário os beneficiários poderão transferir os recursos para contas em qualquer banco, sem custo, ou realizar o saque em terminais de autoatendimento e casas lotéricas.

Quem tem direito ao auxílio emergencial em 2021?

Pelas novas regras, estabelecidas pela Medida Provisória 1.039/2021, o auxílio será pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo.

É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não haverá uma nova fase de inscrições. O recebimento do benefício está limitado a uma pessoa por família, mesmo que o grupo familiar conte com mais de uma pessoa com direito ao auxílio.

Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso. A família receberá o benefício com maior valor, seja a parcela paga no âmbito do programa, seja o valor do auxílio emergencial.

O valor médio do benefício será de 250 reais, variando de 150 reais a 375 reais, a depender do perfil do beneficiário e da composição de cada família.

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame