Bancos fazem leilão de imóveis com lance inicial a partir de R$ 38 mil   | Exame Invest
Exame Invest
Minhas Finanças

Bancos fazem leilão de imóveis com lance inicial a partir de R$ 38 mil  

PUBLICADO EM: 17.2.21 | 6H08
ATUALIZAÇÃO: 16.2.21 | 22H39
Os bancos Santander, Itaú Unibanco, Bradesco e Safra anunciaram a venda de 105 imóveis recuperados de financiamentos não quitados
Leilão de imóveis

Leilões: os imóveis foram retomados de financiamentos dos bancos (Getty Images)

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

O mercado de leilões de imóveis segue aquecido em 2021. É uma oportunidade para quem deseja adquirir uma casa ou apartamento com preços abaixo dos de mercado. Os bancos Santander, Itaú Unibanco, Bradesco e Safra anunciaram a venda de 105 imóveis, que foram recuperados de financiamentos imobiliários. 

São casas, apartamentos, terrenos, lotes comerciais e rurais, localizados nos estados de Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo.

O lance mínimo, no valor de 38.000 reais, é de uma casa a ser leiloada pelo Bradesco com 72 metros quadrados na Paraíba. Já o maior lance, no valor de 12 milhões de reais, é de um galpão industrial com 14.800 metros quadrados, localizado no Paraná, a ser leiloado pelo J.Safra. 


Recomendado para você

Outro destaque são os imóveis residenciais leiloados pelo Itaú. O lance mínimo, de 74.200 reais, é de uma casa localizada em Feira de Santana, na Bahia, com 119 metros quadrados. O maior lance está em São Paulo, no valor de 513.500 reais, uma casa de 260 metros quadrados. 

Todos os lotes estão disponíveis no site da Mega Leilões, leiloeira responsável. O primeiro leilão é do do banco Bradesco marcado para ser realizado no dia 24 de fevereiro a partir das 11h, seguido pelo Itaú Unibanco e Santander, no dia 25 de fevereiro a partir das 15h e Safra no dia 26 de fevereiro também às 15h. .

Em relação aos pagamentos, a leiloeira destaca que há uma flexibilização de pagamento dos lances. O Santander Brasil possibilita o pagamento do lance dos imóveis em até 420 vezes, financiando 80%, além do pagamento à vista. Outro diferencial é a entrega dos imóveis desocupados em todas as capitas do Brasil, processo feito pela Mega Leilões.

Já o Itaú Unibanco oferece outras condições, como 10% de desconto no pagamento do lance arrematado à vista. O parcelamento também é feito pelo banco, que pode ser de 08 a 78 parcelas, vide edital. O Safra permite que o comprador dê uma entrada de até 30% do lance, parcelando o restante em 05 ou 120 parcelas, a consultar o edital.

Já no leilão do Bradesco, a entrada também é facilitada e o desconto de 10% para pagamento à vista permanece.

Cuidados ao comprar um imóvel

Apesar de os descontos serem atrativos, antes de comprar um imóvel em um leilão é necessário tomar alguns cuidados. O primeiro é optar por imóveis que estejam desocupados, já que muitas vezes a saída do morador da casa arrematada pode ser discutida na Justiça, mesmo o comprador tendo em mãos uma carta de arrematação que permite solicitar a desocupação. Para ir à Justiça, o comprador do imóvel precisará contratar um advogado e precisar de uma dose de paciência, já que a data de desocupação pode demorar mais do que o esperado. 

É hora de mudar de casa? Alugar ou comprar, e como? Saiba como com a EXAME Academy 

Outra dica importante é pesquisar se o imóvel tem outras dívidas, como IPTU e taxas que deixaram de ser pagas pelo antigo morador. Os pagamentos desses débitos serão de responsabilidade do comprador. Vale lembrar que a compra de um imóvel implica arcar com o pagamento de outras despesas, como a taxa de registro em cartório, o imposto sobre a transmissão de bens imóveis (ITBI). 

É fundamental também avaliar a forma de pagamento do imóvel determinada no edital do leilão. Muitos leilões não permitem, por exemplo, a utilização do FGTS no pagamento do imóvel arrematado. Também é necessário pagar ao leiloeiro uma comissão adicional de 5% do valor do lance no ato da arrematação.

Por outro lado, muitas vezes é possível obter descontos de até 10% se o pagamento for feito à vista. Em geral, é necessário arcar com um sinal correspondente a 30% do valor do imóvel e o saldo devedor pode ser dividido em diversas parcelas. Alguns leilões permitem o financiamento da dívida, mas é necessário contratar o empréstimo com antecedência.

Por fim, verifique no edital a descrição das condições de venda, o estado de conservação, a forma de pagamento, o preço mínimo, a comissão do leiloeiro, os impostos e o modelo de contrato que será assinado pelas partes.


Leia também

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame