Exame Invest
Minhas Finanças

Beneficiários do auxílio emergencial devem atualizar cadastro no aplicativo

PUBLICADO EM: 12.3.21 | 10H27
A atualização é feita totalmente pelo celular, não sendo preciso ir até uma agência do banco
Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal.

Caixa Tem: atualização do cadastro será escalonada e começa no domingo (14) (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

A Caixa informou que os usuários do aplicativo Caixa Tem deverão fazer atualização dos dados cadastrais durante o mês de março.

Segundo o banco,  a iniciativa visa oferecer mais segurança, vantagens e praticidade aos clientes. A atualização é feita totalmente pelo celular, não sendo preciso ir até uma agência do banco. Basta acessar o aplicativo e seguir as orientações.

A atualização cadastral será realizada de forma escalonada, seguindo o mês de nascimento dos clientes. 

A partir de domingo, 14, devem efetivar a atualização os usuários nascidos em janeiro. No dia 16 de março, os nascidos em fevereiro e no dia 18, os nascidos em março. A atualização segue esta sequência até o dia 31 de março, com os nascidos em dezembro. Veja calendário abaixo: 

Data para atualizaçãoMês de nascimento
A partir do dia 14/03Janeiro
A partir do dia 16/03Fevereiro
A partir do dia 18/03Março
A partir do dia 20/03Abril
A partir do dia 22/03Maio
A partir do dia 23/03Junho
A partir do dia 24/03Julho
A partir do dia 25/03Agosto
A partir do dia 26/03Setembro
A partir do dia 29/03Outubro
A partir do dia 30/03Novembro
A partir do dia 31/03Dezembro

O governo estuda propor um auxílio emergencial de quatro parcelas mensais à população mais vulnerável, de março a junho. Os pagamentos devem variar de 175 reais a 375 reais, de acordo com a composição familiar. Para lares monoparentais dirigidos por mulheres, o valor será de 375 reais. Casais receberão 250 reais, e homens que moram sozinhos, 175 reais.

Na última quinta-feira, 11, a Câmara dos Deputados aprovou em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que viabiliza o pagamento da nova rodada de auxílio emergencial, mas propõe contrapartidas fiscais para compensar o gasto. O placar foi de 366 votos a favor da matéria e 127 contrários, além de três abstenções. Para que uma PEC seja aprovada, são necessários 308 votos, em duas rodadas de votação.

Os deputados agora discutem destaques, que são sugestões de mudança no texto aprovado. Em seguida, a matéria ficará pronta para ser promulgada.

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame