Exame Invest
Minhas Finanças

Captação do Fundo Verde gera corrida de investidores

PUBLICADO EM: 11.2.21 | 7H17
O sucesso do Verde está relacionado principalmente à fama de Stuhlberger, conhecido pelos resultados que entrega. Desde que foi lançado, o fundo já entregou 18.601% de retorno
Luis Stuhlberger

Reaberto para clientes do Itaú, só precisou de 1 minuto e 41 segundos para atingir o máximo de recursos a ser captado (ESTAD√O CONTE⁄DO)

Imagem da Editoria Exame Invest
Estadão Conteúdo



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

O Verde, fundo de investimentos do badalado gestor brasileiro, causou uma corrida de investidores nesta quarta, 10. Reaberto para clientes do Itaú Unibanco, só precisou de 1 minuto e 41 segundos para atingir o máximo de recursos a ser captado. Quem deu bobeira nos grandes bancos, teve de recorrer a instituições menores para garantir a chance de participar do fundo.

Na opinião de fontes ouvidas pelo Estadão/Broadcast, o sucesso do Verde está relacionado principalmente à fama de Stuhlberger, conhecido pelos resultados que entrega. No ano passado, o fundo teve retorno de 3,94%, superando a variação do CDI (2,77%) no período. Desde que foi lançado, porém, o fundo Verde já entregou 18.601% de retorno, ante 2.224% do CDI.

Também conta a favor a popularização do mercado financeiro no Brasil, que viu o número de pessoas físicas que investem na Bolsa superar a marca de 3 milhões. "Estou chocado com a comoção que o Verde está causando nos clientes. É impressionante", disse um gestor brasileiro, na condição de anonimato.

A reabertura do fundo no Itaú e em outras casas foi, na verdade, uma espécie de "pré-venda", assim como acontecem em shows musicais e jogos de futebol. Os investidores apenas fizeram uma reserva para ter direito a aplicar. No Itaú, os recursos serão captados de fato só no dia 22. O banco, o maior da América Latina, não foi o único a reabrir o Verde a seus clientes. O mesmo ocorreu nas plataformas da XP e do BTG Pactual, que também esgotaram sua cota de reservas.

Outras casas ainda vão abrir para captação. Na corretora Ágora, do Bradesco, a primeira janela de reservas está agendada para os dias 22 e 26 de fevereiro. Já na gestora Vitreo, a expectativa é a de que a janela se feche amanhã. "O sucesso foi absoluto. A gente é muito menor (do que as grandes casas) e vem numa captação super forte. O que temos de Verde termina amanhã", diz o CEO e fundador da Vitreo, Patrick O'Grady.

Apesar da alta demanda, aplicar no Verde não é para qualquer investidor. No Itaú, embora o fundo tenha sido colocado à disposição de todos, havia um limite mínimo de R$ 50 mil para os investidores que estavam aplicando no Verde pela primeira vez e de R$ 10 mil para os que já aplicavam no fundo.

Os valores colocados como barreira, aparentemente, não foram um problema. A média de recursos aplicados por cada investidor, no Itaú, foi de R$ 130 mil. O banco não revela quantos investidores conseguiram fazer a aplicação, mas afirma que foram "milhares" e que muitos deles eram novatos. Também não abre qual era o máximo a ser atingido até o fundo se fechar novamente.

Segundo gestores de mercado, o objetivo do fundo de Stuhlberger seria captar alguns bilhões de reais nesta nova rodada.

Imagem da Editoria Exame Invest
Estadão Conteúdo


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame