Exame Invest
Minhas Finanças

Como os índices IPCA e IGP-M impactam os fundos imobiliários?

PUBLICADO EM: 6.2.21 | 8H46
ATUALIZAÇÃO: 7.2.21 | 15H26
O professor Arthur Vieira de Moraes, da EXAME Research, responde dúvidas dos leitores sobre fundos imobiliários em seu programa toda sexta-feira às 15h
ribeirão-preto-sp

FIIs: mande suas dúvidas para a EXAME RESEARCH (Getty Images/EyeEm)

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Dúvida do leitor: Como os índices IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) e IGP-M (Índice Geral de Preços de Mercado) impactam os Fundos de Investimento Imobiliários baseados em CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários)? A alta desses índices beneficiam esses fundos? 

Caro leitor, quando o fundo de CRI é indexado, ele nunca é só o índice. Ele é o índice mais um cupom de juros, como, por exemplo, IGP-M+4, IGP-M+5, entre outros. De uma maneira muito simples, nós poderíamos olhar apenas para o cupom de juros e o restante é a reposição da inflação. Se a inflação subir ela te entregará mais rendimento? Sim, mas ao mesmo tempo a inflação reduzirá o poder de compra daquele rendimento. O que chega ao seu bolso é o ganho real acima da inflação. Mas, na prática, sabemos que não é assim.

O mercado precifica muito em relação à distribuição de rendimentos. Quando os índices sobem, ou seja, o IGP-M, que estava, por exemplo, em 4% ao ano e passa para 20% ao ano, há um aumento na distribuição de rendimento e a tendência é valorizar a cota. Quando os índices caem, acaba distribuindo menos de rendimento, embora o ganho real seja mantido; e as cotas tendem a diminuir também.

Que tal investir com especialistas que selecionam a nata da nata dos fundos para o seu perfil? Conheça a EXAME Research 

Vale a pena ficar de olho nessa oscilação e entender a dinâmica, mas o investidor não deve deixar de olhar para o que tem dentro do fundo. Estamos falando de um fundo de papéis de renda fixa e, com isso de precificar pelo rendimento, muitas pessoas pagam um preço muito acima.

Por fim, vale destacar que o IGP-M é muito mais volátil que o IPCA. Ele carrega muito a variação do dólar e dos preços das commodities, enquanto o IPCA é o preço voltado mais à gôndola do mercado para o consumidor. Os dois podem ter comportamentos diferentes de vez em quando, e não é porque o IGP-M caiu que o IPCA também cairá. 

Os interessados devem assistir ao programa abaixo:

Envie também sua dúvida para o professor. O endereço para envio está aqui.

No curso "Construindo renda com fundos imobiliários" Arthur Vieira de Moraes ensina a investir em imóveis através de fundos imobiliários. O professor ajuda os alunos a entender como funcionam e por que é vantajoso investir em FIIs.

O conteúdo mostra como é possível diversificar a carteira, aumentar o patrimônio e renda de forma tão ou mais segura quanto um dos investimentos mais tradicionais do país. Ao final do curso, o aluno é capaz de investir em fundos imobiliários e tem o conhecimento necessário sobre os mecanismos de proteção ao investimento. Inscreva-se já

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame