Exame Invest
Minhas Finanças

Quer saber se você tem saúde financeira? Acesse esse novo índice gratuito

PUBLICADO EM: 19.7.21 | 12H54
ATUALIZAÇÃO: 19.7.21 | 12H56
Lançado pela Febraban, Índice de Saúde Financeira foi desenvolvido em parceria com o BC e acadêmicos
Porquinho com lousa

Índice médio de saúde financeira do brasileiro adulto é de 57 pontos, numa escala que vai de 0 a 100

Imagem da Editoria Exame Invest
Marília Almeida

Repórter de Invest marilia.almeida@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Quer melhorar a sua educação financeira? O Índice de Saúde Financeira do Brasileiro (I-SFB), lançado nesta segunda-feira, 19, pela Febraban, pode ajudar.

O indicador permite identificar vulnerabilidades em relação a habilidades, comportamento, segurança e liberdade financeira. Com o diagnóstico, é possível avaliar o que é possível fazer para melhorar as finanças pessoais. O indicador permite também medir a saúde financeira ao longo do tempo e compará-la com a média brasileira.

O I-SFB é medido a partir de um questionário que permite calcular uma pontuação que vai de 0 a 100. Com esse número, a pessoa verifica em que nível de saúde financeira está, em uma classificação que vai de ruim a ótima.

Para conhecer o índice, basta entrar no site e responder um questionário de forma anônima e gratuita. São 18 perguntas, e o índice é medido por meio de 15 obrigatórias. Há outras três questões opcionais, caso o usuário queira ter informação adicional sobre a sua autopercepção. É possível salvar as informações.

Desenvolvido em cooperação técnica com o Banco Central do Brasil, e apoio dos bancos associados à Federação, membros do Sistema Financeiro Nacional e acadêmicos que estudaram protocolos internacionais sobre o tema, o I-SFB surgiu a partir de uma pesquisa realizada no país sobre o tema.

O que significa ter saúde financeira?

O conceito de saúde financeira inclui:

  • Ser capaz de cumprir as obrigações financeiras correntes
  • Ser capaz de tomar boas decisões financeiras
  • Ter disciplina e autocontrole para cumprir objetivos
  • Sentir-se seguro quanto ao futuro financeiro
  • Ter liberdade de fazer escolhas que permitam aproveitar a vida.

Índice médio do brasileiro é de 57 pontos

O índice médio de saúde financeira do brasileiro adulto é de 57 pontos, numa escala que vai de 0 a 100. É o que aponta uma pesquisa realizada pela Febraban de setembro a novembro de 2020, por telefone, com 5.220 entrevistados.

Da média de 57 pontos para baixo, há uma área de maior estresse financeiro. Quando o índice sobe, o estresse dá lugar à sensação progressiva de bem-estar financeiro.

O padrão das respostas revela pessoas que lutam por uma vida financeira estruturada para fechar as contas do mês e a difícil missão que é ter reservas para as emergências.

Os entrevistados também apontaram a necessidade de mais informações sobre finanças, incertezas quanto à maneira como lidam com o dinheiro e insegurança quanto ao futuro.

Veja abaixo a situação dos brasileiros pesquisados:

  • A grande maioria paga suas contas, mas vive um limite justo entre renda e gastos
  • Raramente sobra dinheiro no fim do mês
  • Convivem com estresse por causa dos compromissos
  •  Poucos se sentem capazes de reconhecer um bom investimento
  • Poucos conseguem perceber quando precisam de orientação sobre como lidar com seu dinheiro
  • Sentem que não estão garantindo o futuro financeiro
  • Admitem que outro jeito de lidar com o dinheiro permitiria aproveitar melhor a vida

Tendência mundial

O índice de saúde financeira já foi implantado em países como Estados Unidos, Escócia e Cingapura.

Fundamentados em protocolos internacionais, a Febraban e o Banco Central analisam o tema desde 2017. O processo reuniu, no último ano, cerca de 70 especialistas das áreas bancária, acadêmica, integrantes do Sistema Financeiro Nacional como o setor cartão de crédito, birôs de crédito, empresas de leasing, especialistas em educação financeira e planejadores financeiros.

A maior diferença do modelo brasileiro para os internacionais está na base socioeconômica da população, que tem influência tanto no sentimento de segurança financeira, como também na habilidade para se informar e na capacidade de se engajar em bons comportamentos.

Por exemplo: uma pessoa organizada, que controla suas contas e tem conhecimento e disposição para poupar, pode não ter dinheiro sobrando no fim do mês devido à realidade de seu dia a dia. O índice leva isso em conta.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso.

 

Imagem da Editoria Exame Invest
Marília Almeida

Repórter de Invest marilia.almeida@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame