Exame Invest
Minhas Finanças

QuintoAndar acelera expansão global com centro de tecnologia em Portugal

PUBLICADO EM: 4.11.21 | 0H15
ATUALIZAÇÃO: 4.11.21 | 0H52
Proptech pretende atrair talentos com experiência em startups na Europa para desenvolver novas soluções que podem ser utilizadas no Brasil e em outros países

Gabriel Braga (à esq.) e André Penha, cofundadores do QuintoAndar: startup amplia investimento em tecnologia | Foto: Germano Lüders/EXAME

Foto de Marcelo Sakate da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Marcelo Sakate

Editor da EXAME Invest, jornalista com MBA em Mercado de Capitais e passagens por Folha de S. Paulo, Veja, 6 Minutos (C6 Bank) e CNN Brasil | marcelo.sakate@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

O QuintoAndar, maior plataforma de aluguel, compra e venda de imóveis do país, dá um importante passo em seu plano de crescimento com a abertura de um Centro de Tecnologia em Portugal. Será o primeiro escritório da startup no exterior, com o objetivo de recrutar talentos para o desenvolvimento de novos produtos e soluções.

O centro deverá ser localizado em Lisboa e contará com até 50 profissionais em um primeiro momento, em áreas como ciência de dados, engenharia de software, design e gestão de produtos. O anúncio oficial acontece nesta quinta-feira, dia 4, na Web Summit, evento global de tecnologia que acontece justamente na capital portuguesa.

Serão contratados preferencialmente europeus com experiência em startups e que possam contribuir para o desenvolvimento de novas funcionalidades para a jornada de moradia, permitindo a continuidade da expansão do QuintoAndar, tanto do ponto de vista de inovações como geográfico.

O primeiro país com operação comercial fora do Brasil será o México, em data não anunciada. O centro de tecnologia, por sua vez, começará a funcionar em março de 2022.

"O objetivo é ampliar o acesso a talentos. O ecossistema de empresas de tecnologia na Europa é mais rico e existe há mais tempo do que na América do Sul. Já temos estrangeiros que trabalham conosco, mas são poucos. Ter um escritório em um país da União Europeia é um facilitador para atrair esses profissionais", disse André Penha, cofundador e CTO (executivo-chefe de Tecnologia) do QuintoAndar, à EXAME Invest.

No Brasil, são atualmente 650 profissionais na área de tecnologia da startup.

"Recentemente, o Brasil passou a ter empresas de tecnologia mais destacadas, e o QuintoAndar é uma delas, mas até pouco tempo atrás não era assim. E isso reduz a disponibilidade de profissionais que já passaram por empresas de tecnologia e pela experiência de ajudar a levar companhias até o estágio em que atingem milhões de usuários diários."

Penha citou startups como o Spotify, da Suécia, e o Skype, fundado por um empreendedor sueco e outro dinamarquês, como exemplos de companhias que se destacam em tecnologia e design de produto, entre outras áreas. "É a oportunidade de contar com talentos de outras origens e escolas, diferentes das que temos no Brasil."

"Serão pessoas que vão somar à experiência que temos no Brasil no mercado imobiliário", afirmou. Por aqui, os times de tecnologia atuam em produtos específicos, como buscas de imóveis e a relação entre inquilino e proprietário.

Os profissionais no novo escritório contarão com autonomia para desenvolver projetos e terão objetivos e métricas diferentes dos que aqueles que atuam em times no Brasil, mas vão trabalhar em produtos que serão integrados. Isso significa, portanto, que haverá conversas constantes entre os times dos dois países, explicou Penha.

"A ideia é que os produtos integrados que vão ser desenvolvidos no Brasil e em Portugal funcionem nas plataformas do QuintoAndar nos 'n' países em que pretendemos entrar, começando pelo México", afirmou.

A escolha de Portugal se deu por algumas razões, de acordo com o empreendedor: o país é considerado hoje um dos novos destinos em alta para empresas de tecnologia -- e, por tabela, para talentos de diferentes nacionalidades; a proximidade cultural e geográfica (com voos diretos para diferentes cidades brasileiras) também pesou, ainda que o inglês seja língua cada vez mais recorrente em reuniões e projetos do QuintoAndar.

"Mas o objetivo desse escritório não é abrir o mercado português: é chamar profissionais europeus para trabalhar no QuintoAndar e desenvolver tecnologia que vamos utilizar no Brasil e em outros países", diz Penha. "Há uma correlação [a abertura do centro de tecnologia na Europa com uma operação internacional], mas não é de causalidade."

Segundo o CTO do QuintoAndar, o centro de tecnologia em Lisboa vai servir também como aprendizado para que novos escritórios possam ser abertos futuramente em outros países. "Portugal é o primeiro passo."

Próximos passos e prioridades

Fundado em 2013 por Penha e Gabriel Braga, que é o CEO, o QuintoAndar tem mais de 150.000 imóveis e acima de 50 bilhões de reais em ativos sob gestão em sua plataforma digital de aluguel e compra e venda de imóveis, em mais de 40 cidades brasileiras.

A startup fecha mais de 10.000 novos contratos mensalmente, segundo dados de agosto, por meio da plataforma e de funcionalidades que reduzem a burocracia e agilizam o fechamento dos contratos.

Entre as inovações levadas pela startup para o mercado estão a dispensa de fiador por parte do inquilino, a produção de fotos com qualidade para apresentar os imóveis, o agendamento de visitas e o fechamento do contrato de forma online, além da garantia de pagamento ao proprietário em caso de atraso do pagamento pelo inquilino.

A proptech, como são chamadas as startups dedicadas o setor imobiliário, foi avaliada em 5,1 bilhões de dólares em agosto, com a extensão da rodada Series E em que levantou ao todo 420 milhões de dólares.

Por ocasião da rodada Series E original em maio, Braga disse que os novos recursos seriam utilizados em três frentes: ampliar a operação já consolidada de aluguel de imóveis, acelerar o crescimento em compra e venda e bancar o desenvolvimento de uma expansão internacional, que começaria pelo México.

Foto de Marcelo Sakate da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Marcelo Sakate

Editor da EXAME Invest, jornalista com MBA em Mercado de Capitais e passagens por Folha de S. Paulo, Veja, 6 Minutos (C6 Bank) e CNN Brasil | marcelo.sakate@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame