Exame Invest
Minhas Finanças

ANS aponta queda no índice de desempenho das operadoras

PUBLICADO EM: 19.11.14 | 20H06
De acordo com a avaliação, 93,8% dos beneficiários tinham planos que obtiveram índice de desempenho igual ou maior que 0,5
Cartões de planos de saúde

Cartões de planos de saúde: 93,8% dos beneficiários tem planos com índice de desempenho igual ou maior que 0,5

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Rio - O porcentual de consumidores que têm planos de saúde com nota considerada satisfatória pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) caiu em 2013 na comparação com o ano anterior.

De acordo com a avaliação anual do desempenho das operadoras, divulgada nesta quarta-feira, 19, 93,8% dos beneficiários tinham planos de empresas médico-hospitalares que obtiveram índice de desempenho igual ou maior que 0,5 numa escala que vai de 0 a 1.

Em 2012, o porcentual chegara a 95,2%.

"Estatisticamente, na média, a situação se mantém em relação ao ano anterior", disse a diretora de Desenvolvimento Setorial da Agência, Martha Oliveira.

A avaliação da ANS mostra que apenas 10,5% dos 52,7 milhões de beneficiários de planos privados do País estavam em operadoras com índice considerado muito bom na avaliação, com notas de 0,8 a 1.

Já os consumidores que adquiriram planos considerados bons (de 0,6 a 0,79) representavam 72% do total.

Perguntada sobre o fato de apenas um de cada dez consumidores estarem em planos considerados muito bons, Martha disse que "não é preocupante".

"Na verdade, temos a outra faixa, de 0,6 a 0,79, com bastante beneficiários. Temos um pool de indicadores que são muito heterogêneos. São quatro dimensões diferentes. Uma operadora pode estar na penúltima faixa e ter alguma das dimensões muito boa. Ela precisa estar equilibrada e sustentável em todas as dimensões para ter uma nota boa no final", disse a diretora da ANS.

Segundo ela, foram analisados 30 indicadores: 16 referentes à assistência prestada; 6 sobre estrutura e operação; 4 sobre a situação econômico-financeira; e 3 referentes à satisfação dos beneficiários.

As principais reclamações de consumidores em 2013 foram referentes à cobertura dos planos. Em seguida, sobre contratos de regulamentos e, depois, mensalidades e reajustes.

O Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS) é considerado oficialmente a "nota" das operadoras, mas a ANS não divulga um ranking das empresas.

Todas as 1.237 operadoras ativas do País foram avaliadas - do total, 343 são exclusivamente odontológicas. No portal da ANS, é possível buscar as informações referentes ao resultado de cada empresa.

"Esse não é um instrumento de punição. É um programa que busca incentivar a qualificação das operadoras", disse o diretor-presidente da ANS, André Longo.

Ele destacou que o porcentual de beneficiários de operadoras médico-hospitalares situadas nas duas melhores faixas do índice passou de 75,7% em 2011 para 82,5% em 2013.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame