Exame Invest
Minhas Finanças

Bancos leiloam 200 imóveis com descontos de até 77%

PUBLICADO EM: 6.10.20 | 6H10
ATUALIZAÇÃO: 6.10.20 | 8H10
Os lances inicias variam entre 11 mil reais e 32 milhões de reais
Imóveis em São Paulo

Leilão: facilidade de pagamento e preço abaixo do mercado são atrativos nos leilões

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

Os bancos Santander, Inter e BV leiloam no mês de outubro cerca de 200 imóveis em diferentes estados do país. As ofertas iniciais variam entre 11 mil reais e 32,8 milhões de reais. 

opções de casas, apartamentos, salas comerciais, prédios, galpões e terrenos em 17 estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Sergipe, Paraná, Pernambuco, Maranhão, Tocantins e Pará.

Entre os bancos, o Santander é o que tem a maior oferta de imóveis, com 175 no total e desconto de até 71%. O maior desconto é referente a uma casa na cidade de Viamão, no Rio Grande do Sul, à venda de 44,1 mil reais. 

O banco ainda oferece facilidades no pagamento em alguns imóveis, como parcelamento em até 420 meses e débitos de condomínio e IPTU quitados pelo Santander até a data do leilão, além de apoio nas desocupações de imóveis situados nas capitais. Os lances podem ser ofertados até o dia 28 de outubro.

Outro destaque é um apartamento, na cidade de Ribeirão Preto, em São Paulo, com 48,1 metros quadrados de área total, avaliado em R$ 293 mil, pode ser arrematado com lance a partir de R$ 156,3 mil. Já em Guarulhos, também em São Paulo, um apartamento com 67,5 metros quadrados de área total tem lance inicial de R$ 147 mil (33% abaixo do valor de avaliação). Uma casa em Americana (SP), avaliada em quase R$ 1 milhão, está à venda por R$ 468,1 mil.

Em Minas Gerais, serão leiloados 17 imóveis. Entre eles, um apartamento em Belo Horizonte com três quartos e vaga na garagem por R$ 168,6 mil. Na região Nordeste, o estado baiano oferece 14 opções de lotes, entre terrenos e imóveis. Em Candeias (BA), um terreno com 20 mil metros quadrados pode ser adquirido por R$ 518,5 mil. O leilão do Santander acontece dia 28 de outubro. 

Outra instituição com imóveis disponíveis é o BV, que tem oito imóveis em cinco estados, com valores entre R$ 80 mil, referente a um terreno em Luís Eduardo Magalhães (BA), e R$ 16,6 milhões, valor inicial de um terreno com 822,2 metros quadrados em Porto Alegre (RS). O banco oferece condições facilitadas para pagamento em até 12 meses. O leilão acontece nesta terça-feira, 6 de outubro. 

Já o Banco Inter irá leiloar, no dia 26 de outubro,  11 imóveis, com valores entre 25 mil reais e 1,1 milhão de reais, e pagamento facilitado em até 240 meses. O destaque é um imóvel comercial em Rio das Ostras, Rio de Janeiro, com lance inicial de 35 mil (77% abaixo do valor de avaliação).

Todas as unidades estão disponíveis no site da SOLD através do link:www.sold.com.br/leiloes-de-imoveis e os imóveis desocupados podem ser visitados mediante o agendamento pelo e-mail imoveis.sac@sold.com.br.

 Cuidados ao comprar um imóvel

Apesar dos descontos serem atrativos, antes de comprar um imóvel em um leilão é necessário tomar alguns cuidados. O primeiro é optar por imóveis que estejam desocupados, já que muitas vezes a saída do morador da casa arrematada pode ser discutida na Justiça, mesmo o comprador tendo em mãos uma carta de arrematação que permite solicitar a desocupação. Para ir à Justiça, o comprador do imóvel precisará contratar um advogado e precisar de uma dose de paciência, já que a data de desocupação pode demorar mais do que o esperado. 

Outra dica importante é pesquisar se o imóvel tem outras dívidas, como IPTU e taxas que deixaram de ser pagas pelo antigo morador. Os pagamentos desses débitos serão de responsabilidade do comprador. Vale lembrar que a compra de um imóvel implica arcar com o pagamento de outras despesas, como a taxa de registro em cartório, o imposto sobre a transmissão de bens imóveis (ITBI). 

É fundamental também avaliar a forma de pagamento do imóvel determinada no edital do leilão. Muitos leilões não permitem, por exemplo, a utilização do FGTS no pagamento do imóvel arrematado. Também é necessário pagar ao leiloeiro uma comissão adicional de 5% do valor do lance no ato da arrematação. Por outro lado, muitas vezes é possível obter descontos de até 10% se o pagamento for feito à vista. Em geral, é necessário arcar com um sinal correspondente a 30% do valor do imóvel e o saldo devedor pode ser dividido em diversas parcelas. Alguns leilões permitem o financiamento da dívida, mas é necessário contratar o empréstimo com antecedência.

Por fim, verifique no edital a descrição das condições de venda, o estado de conservação, a forma de pagamento, o preço mínimo, a comissão do leiloeiro, os impostos e o modelo de contrato que será assinado pelas partes.

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame