Exame Invest
Minhas Finanças

Como consultar se o seu nome está sujo na Serasa, SCPC, Quod e SPC

PUBLICADO EM: 10.8.20 | 17H05
ATUALIZAÇÃO: 14.8.20 | 12H49
Consulta gratuita aos bureaus de crédito pode ser feita online. Veja o passo a passo
Caminhão da Serasa

(www.fotoarena.com.br)

Imagem da Editoria Exame Invest
Marília Almeida

Repórter de Invest marilia.almeida@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Perdeu renda na pandemia, atrasou o pagamento de contas e está em dúvida se seu nome está sujo ou não? É fácil realizar a consulta gratuita nos bureaus de crédito disponíveis, como Serasa, SPC, SCPC e Quod.

Os bureaus são as bases de dados usadas por empresas e bancos para checar se o consumidor possui dívidas em atraso. São quatro: a Serasa, o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), o Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), administrado pela Boa Vista Serviços; e a Quod. O ideal é que a consulta seja feita nos quatro cadastros.

Veja a seguir como fazer a consulta do seu CPF em cada bureau.

Serasa

Para consultar se seu nome está sujo na base de dados do Serasa, acesse o site ou baixe o aplicativo em seu celular; digite o seu CPF e preencha um breve cadastro.

Ao entrar na plataforma, o consumidor visualiza a sua situação financeira explicada, incluindo as dívidas que tiver. Depois, é direcionado para uma nova página, onde serão apresentadas opções de ofertas para renegociar os débitos.

Depois que escolher uma das opções para pagamento, é só decidir se a quitação será à vista ou em parcelas, e a melhor data de vencimento.

A plataforma da Serasa gera um ou mais boletos, dependendo da forma de pagamento escolhida, já com a data que o consumidor quer quitar a dívida.

Com o boleto gerado é possível escolher usar o aplicativo do banco para ler o arquivo diretamente do computador ou imprimir a via e pagar o valor em uma agência ou casas lotéricas.

Não consegue pagar agora? É aconselhável sempre monitorar o site, que pode ser atualizado com novas condições para renegociação.

SCPC

Na Boa Vista os consumidores podem consultar se o nome está sujo tanto no portal Consumidor Positivo quanto no aplicativo Boa Vista Consumidor Positivo, disponível para Android e iOS.

Em ambos os casos, os consumidores precisam fazer um cadastro individual, para garantir a segurança do acesso.

Além de dívidas vencidas é possível conferir se há cheques devolvidos, protestos e até acompanhar os alertas de documentos perdidos.

A Boa Vista disponibiliza, tanto no site quanto no app, a consulta do score (pontuação de crédito), assim como informações do Cadastro Positivo (pagamentos efetuados), nos casos dos consumidores que já tiveram suas informações encaminhadas por parte das empresas. Há também dicas e cartilhas sobre educação financeira e orçamento doméstico.

Quod

Para verificar a situação de inscrição em bases de inadimplência de forma gratuita basta acessar o site do serviço de proteção ao crédito controlCred e selecionar a opção “Cadastre-se”. O consumidor deve preencher seus dados pessoais, criar uma senha de acesso. A Quod é uma empresa autorizada pelo Banco Central a operar o Cadastro Positivo e também permite consultar o histórico de crédito detalhado de forma gratuita, além de acompanhar o score de crédito quando o serviço for disponibilizado ao consumidor. Basta acessar o site do serviço.

SPC Brasil

O SPC Brasil é o único bureau que não permite realizar a consulta online do CPF de forma gratuita. Ao acessar o site, o consumidor é direcionado para uma página que promete a consulta às bases de dados do SPC e da Serasa por R$ 16,90.

No serviço estão incluídas informações cadastrais, último endereço e telefone vinculado, registro de título protestado em cartório, informações do poder Judiciário, crédito concedido no CPF, registro de cheque lojista, consultas realizadas no documento nos últimos 6 meses e alerta de documentos.

Como seu nome fica sujo

A partir do primeiro dia de atraso no pagamento da conta, a empresa credora já pode entrar em contato com os birôs de crédito que administram os cadastros de inadimplência.

Ao receber a demanda, o birô é obrigado, por lei, a enviar uma carta ao devedor para avisar que ele tem dez dias corridos para quitar a dívida ou abrir uma negociação para evitar que seu CPF seja incluído no cadastro de inadimplência.

Se após o prazo de dez dias a pendência não for regularizada, então os birôs podem incluir o CPF do consumidor em sua base de inadimplentes, o que torna o nome do consumidor sujo.

Imagem da Editoria Exame Invest
Marília Almeida

Repórter de Invest marilia.almeida@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame