Exame Invest
Minhas Finanças

Comprei um produto que não foi entregue no prazo. O que fazer?

PUBLICADO EM: 11.2.18 | 7H00
Demora na entrega é o principal problema enfrentado por consumidores na internet. Veja o passo a passo de como agir quando o produto atrasa

Reclamações: No 2º semestre de 2017, o Procon-SP registrou 6.900 queixas de demora na entrega (Getty Images/iStockphoto)

Imagem da Editoria Exame Invest
Júlia Lewgoy



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo - Demora na entrega do produto ou falta de entrega é, disparado, o principal problema enfrentado por consumidores na internet. Mas, afinal, o que fazer quando o produto atrasa?

No 2º semestre de 2017, o Procon-SP registrou 6.900 reclamações sobre o tema, número três vezes maior do que o de queixas contra produto com vício, o segundo maior problema. A entidade recebeu 1.918 reclamações contra produto com vício no mesmo período.

O Código de Defesa do Consumidor não determina um prazo máximo para o produto ser entregue, mas estabelece o direito à informação. Antes da conclusão da compra, a loja online é obrigada a informar o prazo de previsão de entrega.

Em São Paulo, a Lei da Entrega determina que o consumidor tem o direito de escolher a data e o período do dia, entre as opções dadas pela loja. Mesmo que o e-commerce seja de outro estado, deve cumprir com a Lei da Entrega vigente em São Paulo. Vale lembrar que a responsabilidade da entrega é do fornecedor, não da empresa terceirizada contratada para realizar o frete.

Quando o fornecedor descumpre com o prazo que ele mesmo pré-estabeleceu, o primeiro passo a dar é acionar a loja, por meio do telefone do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), e anotar o número do protocolo do atendimento.

Nesse momento, o consumidor tem três opções: exigir a entrega imediata do produto, aceitar a entrega de outro produto equivalente ou cancelar o pedido e receber o dinheiro de volta, incluindo o valor do frete.

Nesse caso, mesmo que a compra foi feita no cartão de crédito, o consumidor tem o direito de optar pela restituição em débito em conta, segundo a coordenadora do Procon-SP, Marcele Soares. “O consumidor pode negociar com a empresa um pequeno prazo para que a restituição ocorra, mas não dá para esperar meses”, orienta.

Se a loja não cumprir novamente com o prometido, deve ser penalizada por descumprimento de oferta, previsto no Código de Defesa do Consumidor. O cliente deve fazer uma denúncia no Procon de sua cidade, munido do comprovante da compra, com data e prazo de entrega descritos, e o número do protocolo da reclamação no SAC.

Em São Paulo, a denúncia pode ser feita no site do Procon ou presencialmente. A partir da reclamação, a entidade de defesa do consumidor envia uma correspondência para a empresa, que tem até dez dias para demonstrar que realizou a entrega.

Segundo Marcele, do Procon-SP, 70% das reclamações são solucionadas nessa etapa. Mas se não resolver, a equipe técnica do Procon ainda tem 120 dias para tratar da questão.

Imagem da Editoria Exame Invest
Júlia Lewgoy


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame