Exame Invest
Minhas Finanças

Itaú antecipa operações do Pix para todos os clientes do Iti

PUBLICADO EM: 11.11.20 | 16H59
Todos os usuários do iti Itaú podem realizar e receber pagamentos via Pix direto pelo app
iti

PIX: liberação obrigatória é a partir do dia 16 de novembro

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

O Itaú antecipou as operações do Pix ao clientes do iti, carteira digital do banco. Desde a última terça-feira, 11, os usuários do Iti podem realizar e receber pagamentos via Pix direto pelo aplicativo. 

As transações de pagamento podem ser feitas de forma gratuita para outras pessoas ou estabelecimentos que tenham cadastrado chaves Pix no iti ou em outra instituição que também já esteja operando no sistema. As chaves Pix são compostas pelo número de celular, CPF, e-mail ou chave aleatória.  

A renda fixa morreu? Nada disso, mas conhecimento nunca foi tão importante. Saiba mais na EXAME Research

"Nas últimas semanas, houve um forte aumento de interesse da população pelo Pix e pelas vantagens que ele oferece no que se refere a economia, comodidade e digitalização. Por isso,decidimos antecipar o acesso das pessoas aos benefícios do Pix, dando mais um passo relevante para aumentar a democratização do sistema financeiro no Brasil", afirmou João Araújo, diretor do iti Itaú, em material divulgado.

Para conseguir utilizar o novo sistema de pagamentos do BC, os clientes do iti devem fazer o download da versão mais recente da carteira digital. A abertura de conta é gratuita e 100% digital. Não é a necessidade de comprovação de renda.

O Banco Central estabeleceu entre os dia 3 e 15 de novembro a fase de operação restrita do Pix. Pelo cronograma, as instituições poderiam liberar o Pix gradativamente até o dia 15. A partir da próxima segunda-feira, é obrigatório a liberação para 100%.

O último balanço divulgado pelo BC aponta que o novo sistema de pagamentos, ainda em fase de teste, já realizou mais de 321 mil transações e movimentou cerca de 120 milhões de reais. Ao todo, segundo dados do Banco Central, o sistema já conta com mais de 30 milhões de usuários registrados, sendo 28,6 milhões de pessoas físicas e 1,6 milhão de pessoas jurídicas

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame