Exame Invest
Minhas Finanças

Os melhores e os piores investimentos do mês de abril

PUBLICADO EM: 30.4.20 | 19H05
Os títulos públicos estão entre os que tiveram menor rentabilidade no período
Dólar

Dólar: moeda acumulou alta de 4,69%. No ano, a alta é de 35% (Getty Images)

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Os fundos cambiais seguem na liderança no ranking dos melhores investimentos do mês, com rentabilidade positiva de 9,42% no período. O bom desempenho está diretamente relacionado a alta do dólar, que acumula valorização de 4,69% frente ao real. No ano, a moeda americana já subiu 35,51%. 

A Bolsa também fechou em forte valorização no mês, com alta acumulada de 10,25%, sendo o melhor resultado mensal desde janeiro de 2019. Com o bom desempenho do índice, os fundos de ações também se destacaram, com alta de mais de 5%.

Um relatório exclusivo realizado pela equipe de analistas da Exame Research,  apontou que os gestores de fundos de ações mudaram de estratégia em meio à pandemia de coronavírus (covid-19) e instabilidade política do país. Eles optaram por reduzir à exposição em ações de estatais e ampliar a participação em empresas de telecomunicações, proteína e bancos. 

Já entre os piores investimentos do mês estão os títulos do Tesouro. Esse tipo de investimento vem perdendo atratividade à medida que o Banco Central reduz a taxa básica de juros do país, hoje em 3,75% ao ano. Veja tabela abaixo:

Confira o ranking de investimentos de marçoVariação no mês em %
Fundos Cambiais*9,42
Fundos de Ações Investimento no Exterior*7,84
Fundos de Ações Livre*6,48
Fundos de Ações Small Caps*5,81
Fundos de Renda FixaRenda Fixa Investimento no Exterior*5,12
Fundos de Ações Indexados*3,33
Fundos Multimercados Livre*1,48
Fundos de Ações Dividendos*1,39
Tesouro Prefixado 2021 (LTN)0,94
Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2021 (NTN-F)0,87
Fundos Renda Fixa Indexados*0,62
Fundos Multimercados Investimento no Exterior*0,53
Tesouro Selic 2021 (LFT)0,34
Tesouro Selic 2023 (LFT)0,33
Poupança**0,28
Fundos Renda Fixa Simples*0,15
Tesouro Prefixado 2023 (LTN)-0,17
Tesouro IPCA+ 2024 (NTN-B Principal)-3,52
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2035 (NTN-B)-11,26
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2050 (NTN-B)-15,83
Tesouro IPCA+ 2035 (NTN-B Principal)-16,59

Referências

InvestimentoEm março em (%)
Ibovespa
Selic***0,28
CDI***0,28
IPCA2,92
Dólar comercialR$ 5,47

*Até 30 de abril dado mais atual disponível na Anbima
**Até 29 de março
***O desempenho mensal se refere aos últimos 30 dias até a data de fechamento.
****Projeção da versão mais atual do Boletim Focus do Banco Central
*****Refere-se à prévia da inflação oficial do país, o IPCA (IPCA-15)

Para todos os investimentos, a orientação é sempre lembrar que a rentabilidade passada não significa garantia de rendimento futuro. Também é importante mencionar que o ranking de investimentos considera a rentabilidade bruta das aplicações no mês e nos últimos 12 meses, sem descontar Imposto de Renda.

Nas aplicações em fundos de ações, há IR de 15%. Nos fundos de curto prazo, a alíquota é de 22,50% para resgates em até 180 dias e de 20% para resgates depois de 180 dias. Nas demais categorias de fundos (longo prazo), a tributação segue tabela regressiva, em que a alíquota varia entre 15% e 22,5%, conforme o prazo de vencimento.

Os títulos públicos também são tributados pela tabela regressiva de IR. A poupança não tem cobrança de Imposto de Renda.

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame