Exame Invest
Minhas Finanças

Preço do aluguel tem queda real de 3,31% nos últimos 12 meses

PUBLICADO EM: 15.8.18 | 5H30
O preço do aluguel subiu 1,02% nos últimos 12 meses, segundo o Índice FipeZap de Locação. Apesar da alta, o valor de locação ficou abaixo da inflação
apartamento

Imagem da Editoria Exame Invest
Júlia Lewgoy



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

São Paulo - O preço do aluguel de imóveis subiu 1,02% nos últimos 12 meses, segundo o Índice FipeZap de Locação, que acompanha o preço médio de imóveis anunciados para alugar em 15 cidades brasileiras. Apesar da alta, o valor de locação ficou abaixo da inflação no mesmo período.

Considerando a inflação medida pelo IPCA, de 4,48% nos últimos 12 meses, o preço médio do aluguel teve queda real de 3,31% no período. A queda real é registrada quando o valor de um determinado bem sobe menos que a inflação.

Vale destacar que a variação real não é obtida com uma simples subtração. Para realizar o cálculo, é preciso dividir a oscilação dos preços pela variação da inflação.

Desde o início do ano, o preço médio do aluguel acumula alta de 1,99%, enquanto a inflação medida pelo IPCA foi de 2,94% no período.

Em julho, o preço médio de locação se manteve praticamente estável, com leve alta de 0,06%. A variação também ficou abaixo da inflação medida pelo IPCA, de 0,33% no período. 

A tendência é que o preço do aluguel siga subindo abaixo da inflação até o fim do ano. Por isso, locatários têm poder de barganha para negociar preço na hora de fechar contrato ou reajustar o aluguel.

Preço por cidade

Em julho, 7 das 15 cidades monitoradas pelo Índice FipeZap acompanharam o movimento de alta no preço médio do aluguel residencial, com destaque para as variações observadas em Recife (1,79%), Curitiba (1,63%) e São Bernardo do Campo (0,57%).

Já entre as cidades que registraram queda nos preços de locação residencial no período, vale citar: Fortaleza (-1,28%), Rio de Janeiro (-0,78%) e Goiânia (-0,70%).  

A seguir, confira o preço médio do metro quadrado anunciado para locação e a variação dos preços nas 15 cidades pesquisadas pelo Índice FipeZap. Nas cidades em que o preço está caindo, o poder do locatário para negociar preço é maior.

CidadePreço médio do metro quadrado em julhoVariação do preço em julhoVariação do preço em 2018Variação do preço nos últimos 12 meses
São PauloR$ 36,900,41%3,53%3,26%
Rio de JaneiroR$ 30,79-0,78%-1,25%-5,74%
Distrito FederalR$ 29,69-0,17%4,49%4,37%
SantosR$ 29,280,28%2,00%1,51%
RecifeR$ 25,721,79%5,94%8,61%
FlorianópolisR$ 22,64-0,02%1,37%0,44%
Porto AlegreR$ 21,270,06%1,15%-0,03%
CampinasR$ 20,920,30%1,75%0,95%
NiteróiR$ 20,39-0,41%-1,81%-6,76%
Belo HorizonteR$ 20,330,37%2,35%2,67%
SalvadorR$ 20,13-0,22%2,51%3,76%
São Bernardo do CampoR$ 18,840,57%0,34%0,55%
CuritibaR$ 17,571,63%2,76%6,42%
FortalezaR$ 15,96-1,28%-1,16%-2,18%
GoiâniaR$ 15,98-0,70%4,69%6,46%

Retorno do investimento em imóveis

Em julho, o retorno médio para investidores que optaram por alugar seu imóvel foi de 4,40% ao ano. A taxa avalia o retorno médio que um proprietário teria em 12 meses com a locação do imóvel, sem considerar possível ganhos com valorização ou desvalorização decorrente do aumento ou da queda no preço dos imóveis no período.

A rentabilidade do aluguel é calculada por meio da divisão entre o preço médio de locação mensal e o preço médio de venda mensal. A taxa ao ano é obtida multiplicando-se o resultado por 12.

O retorno do aluguel de imóveis ficou abaixo da taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,50% ao ano. A taxa está no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986.

Ou seja, há outras opções de investimentos de renda fixa mais atraentes do que o aluguel de imóveis. Os fundos imobiliários também são alternativas para quem gosta de investir em imóveis, mas busca retornos maiores. Veja dicas para investir.

Imagem da Editoria Exame Invest
Júlia Lewgoy


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame